Expiação

Falando um pouco mais sobre a Consciência Pessoal, vou abrir um tópico sobre a questão da Má Consciência e a necessidade de expiação.

Quando estamos em má consciência, com alguém ou alguma coisa, naturalmente temos a necessidade de expiar a fim de compensar e com isso equilibramos o sistema.

O que é a má Consciência segundo Bert Hellinger?

Aqui diz respeito a conceituação segundo o modelo de conhecimento da visão sistêmica utilizado na abordagem das Constelações que envolvem o Amor do Espírito, que tem como base as diversas consciências. E uma delas é a Consciência Pessoal, onde o limite do amor se expressa de uma forma estreita e limitada, pois é um amor condicionado.

Essa consciência pessoal atinge principalmente a criança, pela necessidade de sobrevivência e pertencimento naquele sistema.

A criança para ser amada, aceita, pertencer e receber nutrição, descobre que precisa estar de acordo com a as formas de pensamento e comportamento exigidas pelo meio em que se encontra.

Os valores daquela família. A família em que ela está sendo criada ou porque nasceu nela, ou porque foi adotada. E aqui pode ser a família "instituição" também, quando a criança é abandonada em uma.

A criança, descobre logo cedo, que essa Consciência Pessoal é excludente. Exclui e avalia como melhores e piores outras "Consciências Pessoais". Por exemplo: Famílias em relação a outras famílias que são diferentes, que adotam costumes, que herdam outros valores e praticam outros tipos de comportamento diferente dos seus.  Por isso ser a "Consciência Pessoal" limitada, pois tem um alcance limitado, só adota para si aquilo que é valorizado por seu núcleo familiar. Pois teme ser excluída se não seguir seus "costumes".

Por exemplo, se uma criança nasce numa família católica e aprende certos valores desde pequena,  logo se a família acredita ser melhor, mais certa, com mais direito a pertencer, de uma tradição onde pertence a uma certa "maioria", a criança começa esse senso de discriminação, pois percebe que quando se aproxima da família vizinha que é mais pobre, negra e que prática uma religiosidade diferente, ela sentirá o "clima" da exclusão.

Essa criança perceberá, através dessa "Consciência Pessoal", que se andar com a amiguinha dessa família vizinha, será punida por seus familiares ou mesmo por essa maioria, semelhante à sua família.  Com medo de ser excluída como seus vizinhos o são da grande maioria, ela teme ser excluída. Se por acaso essa criança se rebela e cria laços de amizade com alguém dessa família, sem perceber, de modo inconsciente ele se sente em má consciência com seu núcleo familiar.

Isso, quando ela não é tacitamente proibida de manter um vinculo com essa família. Então, resulta que ela tem que fazer uma escolha, entre, excluir ou ser excluída.

Por isso, essa Boa e Má consciência é relativa e limitada.

Por isso, Bert, diz que a consciência pessoal tem uma forte influência na vida de todos nós, mais é uma consciência que colabora para o conflito, para a exclusão e para a Guerra entre povos e culturas.

Se essa criança segue numa educação que reafirma o preconceito e a exclusão, gera adultos que serão agentes da Guerra, do Conflito, da desordem social e do descumprimento dos Direitos Humanos e da Cidadania Planetária.

Façam uma reflexão sobre isso.

Pois essa é a memória que sua Criança interior pode estar carregando. E precisamos olhar para isso, para vencer a influência oculta da Consciência Pessoal, por que ela pode ser boa, mais é excludente, por vir de nossa criança interior, da memória da infância, ela pode ser absurdamente cega e causar-nos um mal tremendo na vida adulta. Pois ela causa conflitos e distância a pessoa de si mesma e dos outros e daquilo que Bert chama do Amor  do Espírito.

Existem outras coisas relativas a Consciência Pessoal. Aqui cito algumas.

Estar em boa consciência com seu núcleo familiar, que possuem certos valores entre o que é certo ou errado, pode entrar em conflito com a Consciência Coletiva.

Que não julga entre certo ou errado, entre melhores e piores, entre os que possuem mais direito a pertencer do que outros que são julgados pela "minoria", ou pelo mais poderoso, numeroso, rico, ou influente.

Por isso, Bert insiste em dizer que a Paz começa na alma. E eu diria, na desendentificação desses rígidos padrões familiares, das memórias da nossa criança interior, para alçar o voo, para uma humanidade mais evoluída.

Essa Consciência Coletiva age de modo diferente para que a harmonia possa se estabelecer num nível de amor mais amplo, onde todos tem o direito de pertencer independente de sua escolhas pessoais.

Isso recai de diversas  formas dentro dessa "Consciência Pessoal". Você pode estar em boa consciência com seu núcleo familiar com costumes e padrões rígidos de comportamento moral, mais pode estar totalmente distanciado de uma Cultura de Paz, por exemplo. Ser penalizado e punido, ao julgar a minoria, a discriminar, a excluir, indo contra os Direitos Humanos, por exemplo. E até em casos extremos de descontrole emocional, envolver-se num crime de discriminação social. Julgando Homossexuais, Negros, Judeus, e pessoas que seguem outra prática religiosa por exemplo.

Já aconteceu de você causar um grande sofrimento a uma pessoa e sofrer também por conta disso?

Esse é um outro nível onde atua a Consciência Pessoal.

Bert Hellinger, chama isso de movimento da consciência, atribui a uma necessidade sistêmica compensatória de sofrer também a fim de expiar. Depois do sofrimento, vem a boa consciência e ficamos novamente liberados do acontecido.

Ele diz, que através desse sofrimento, o outro já não se sente tão sozinho em seu sofrimento.

Mas Bert Hellinger, chama esse amor, de um amor cego, um amor infantil e um amor instintivo.

Não é um amor adulto, equilibrado ou mesmo saudável.

Para que exista equilíbrio entre as "consciências" em uma relação e todos fiquem em "boa consciência",
é necessário um equilíbrio entre o dar e tomar e entre o ganho e a perda.

Bert diz, que quando recebemos algo sem dar nada em troca, ficamos em má consciência e logo sentimos culpa. 

A necessidade de expiação é algo milenar, está presente em algumas culturas arcaicas.

Antes de se tomar consciência e ter uma atitude auto-responsável e perceptível do que ocorre no inconsciente a pessoa navega nos mares da culpa ou ocorre em conflitos entre agressores e vitimas e pode estar ferindo a ética da cidadania.

Você está expiando algo e não sabe?

Carrega algum sentimento de culpa?

Sabota suas realizações?

Exclui pessoas que são diferentes?

Colabora em disseminar a má palavra? A destruir a reputação de alguém? Em nome de um ideal?

Eis a reflexão do momento.
Abraços
Cida Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.