Mostrando postagens com marcador Adoção. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Adoção. Mostrar todas as postagens

A questão da Adoção


Aqui esse Artigo, extraido do livro de Bert Hellinger, dá algumas orientações para que a Adoção possa ser mais apropriada. Essas questões normalmente são muito inconscientes, naturalmente, um assunto polemico, mais importante de ser encarado sem medo.

Não adiante os pais não quererem encarar seus problemas com medo de enfrentar as dinâmicas ocultas do Amor. Adoção é algo que precisa ser Constelado, pelo bem da Criança, dos irmão se houverem e dos Pais. Por isso, considera a seriedade dessa questão e dê um passo em direção ao enfrentamento dos conflitos que quase sempre estão presentes no Sistema Familiar.

Cida Medeiros



...segue o artigo

“Quando os filhos não podem ser criados por seus próprios pais, a melhor alternativa serão provavelmente os avós. Estes, em geral, se aproximam mais das crianças. Se conseguem atraí-las, quase sempre cuidam muito bem delas – e a devolução aos pais é bem mais fácil. Não havendo avós vivos, ou caso eles não possam assumir o encargo, a próxima escolha é usualmente uma tia ou um tio.

A adoção é o último recurso, e só deve ser cogitada quando ninguém da família está disponível.

Segundo minha experiência com famílias, o fator crucial são as intenções dos pais adotivos. Se realmente agirem no melhor interesse da criança, a adoção terá boa possibilidade de sucesso.

Contudo, pais adotivos raramente consideram o interesse da criança, e sim o seu próprio: não podem ter filhos e se rebelam contra as limitações que a natureza lhes impôs. Implicitamente, pedem à criança que os proteja de seu desapontamento. Quando é esse o caso, o fluxo básico do dar e receber, bem como a ordem dos relacionamentos, desarranja-se logo de começo; os pais sofrerão as conseqüências de seus atos ou sofrerão os filhos. Quando os parceiros adotam uma criança movidos por suas próprias necessidades e não pelo bem-estar dessa criança, efetivamente a tomam dos pais naturais para beneficiar-se. É o equivalente sistêmico do roubo de crianças; por isso traz conseqüências muito negativas ao sistema familiar. Na verdade, não importam os motivos que levam os pais naturais a enjeitar um bebê; os pais adotivos costumam pagar o mesmo preço.

Sucede com freqüência que casais se divorciem depois de adotar uma criança por motivos impróprios.

Sacrificar o parceiro é a compensação por privar os pais naturais de seu filho. Em famílias com quem trabalhei, as conseqüências de adotar filhos por razões impróprias incluíam divórcio, doença, aborto e morte.

Em sua forma mais destrutiva, essa dinâmica exprimiu-se pela e também não é incomum que filhos adotivos detestem seus novos pais e desprezem o que recebem deles.

Nessas famílias, sucede muitas vezes que os pais adotivos se sintam secretamente superiores aos pais biológicos; o filho, talvez inconscientemente, demonstra solidariedade para com os pais naturais.

Às vezes, os pais naturais entregam os filhos para adoção sem necessidade. Então os filhos sentem um legítimo ressentimento contra eles, mas os pais adotivos é que passam a ser o alvo desse ressentimento. E as coisas pioram quando os pais adotivos assumem o lugar dos pais naturais. Se os pais adotivos têm consciência de que agem em substituição aos pais verdadeiros, os sentimentos negativos se concentram nestes e os adotivos ganham o reconhecimento que merecem. Trata-se de um grande alívio tanto para os pais quanto para os filhos adotivos.

Quando os pais adotivos ou de criação agem no interesse da criança, eles têm consciência de que são meros substitutos ou representantes dos pais biológicos, a quem ajudam a realizar o que não estava a seu alcance. Eles desempenham um papel importante, mas na qualidade de pais adotivos vêm depois dos pais biológicos, não importa o que estes sejam ou tenham feito. Se essa ordem for respeitada, os filhos podem aceitar e respeitar os pais adotivos.”

Bert Hellinger, A Simetria Oculta do Amor, Ed. Cultrix, pg. 121

Adoção, por que Constelar.

A Adoção:

Para aquele que adota.

Para aquele que doa.

A Constelação Familiar trata desse tema, complexo, e que é, na maioria das vezes, ocultado, com muitos sentimentos, e com uma negação muito grande do que está acontecendo de fato, são situações muitas vezes carregadas de julgamentos, medos, culpas, e que para maioria e difícil de encarar de frente,de dialogar com tudo isso,  fica tudo numa dimensão do inconsciente...algo não vai bem, e muitos tem medo de confrontar, e trazer a luz, buscando clarear essas dinâmicas que se ocultam a sua compreensão e lhe tiram a força e o bem estar.



Nos primeiros livros de Bert Hellinger sobre as Ordens do Amor, tínhamos um tipo de orientação que na maioria das vezes causava polêmica, porém, agora, na dimensão que as Constelações Sistêmicas tomaram, em sintonia com o Movimento do Espirito, e a Nova Constelação da Hellinger Science, podemos observar soluções, que impactam a todos, de modo muito amoroso e positivo, onde podemos reparar danos emocionais, espirituais, psíquicos, de uma forma profunda e transformadora e isso, impactar-se no Campo Familiar, na memoria do registro akáshico, ou podemos dizer, na memória informacional do Campo familiar, o todos são influenciados, de forma a resultar em benefícios que estão a serviço do amor e da reconciliação.

Que irão beneficiar de imediato a relação e o vinculo entre pais e filhos.

Isso não é milagre, é Ciência do Conhecimento a serviço da evolução humana.

Eu mesmo, ao longo desses anos, tive alguns casos de adoção. E todos resultaram em benefícios para os envolvidos. Os filhos ficam mais em paz, mais centrados e os pais adotivos se sentem em paz

Crianças com conflitos, pais com conflitos, puderem sentir a paz em seus corações depois de uma Constelação Familiar.

Mudanças de comportamento, principalmente nas crianças adotadas é algo muito evidente.

A criança encontra seu lugar, e logo, sente-se aliviada e em paz.

Seus pais adotivos experimentam um nova compreensão em relação as dinâmicas ocultas que estão implicadas nesse processo e enriquecem sua experiencia como pais adotivos.

O fato que se você adotou uma criança é importante pensar na possibilidade de constelar, pare seu bem e par ao bem de todos.



A constelação trata muito do 'Vinculo", e como curar as pertubações que ocorrem nos vínculos que foram perturbados por ocasião de abandono, rejeição e todo tipo de adversidade entre a criança e seus pais biológicos.

Não se trata aqui de fazer qualquer tipo de julgamento e condenação. Trata-se de oferecer recursos para a superação de traumas que estão de alguma forma afetando sua vida, se você foi uma criança adotada, se você teve uma criança e precisou abrir mão dela por algum motivo, seja ele qual for, ou se você adotou.

O fato que uma criança pode estar revelando problemas em seu comportamento ou sentindo-se perdido, desconectado ou afetado de alguma forma por estar emaranhado em sua família de origem.

A família atual, os outros membros, sentem o peso e não sabem muito bem como fazer, logo na maioria, se afastam. É muito comum, a mulher começar a ter problemas com o marido. A constelação ajuda a liberar esse peso, e trazer uma nova energia para todos.

Não estou dizendo que seria recomendado não adotar, muito pelo contrário, dar o sustento e o amor a uma criança é uma das mais belas atitudes humanas, desenvolver esse amor e esse afeto, gestar a criança em seu coração é um nobre ato de amor, sem duvidas, porém seu amor, pode não ser tudo, por isso Bert Hellinger fala que não é suficiente você amar com todo seu ser, é necessário a compreensão das Ordens do Amor.

Isso muda tudo, e é por isso, que alcançamos resultados surpreendentes quando aceitamos que não somos super heróis, e a propósito de toda boa intenção, mesmo assim, as coisas podem não dar certo. E a dor, quase sempre é muito grande, e no entanto a criança esta ainda identificada com suas origens, numa dinâmica oculta, sistêmica.

Uma criança é gerada a partir de um ovulo e um espermatozoide, ela carrega essa informação em seu DNA, queira você aceitar ou não, não adiante negar os fatos, e isso precisa ser constelado. Através da constelação a criança é liberada de coisas que estão ocultas e lhe influenciam de modo negativo. Seria o mesmo que dizer, que vamos transformar uma força que ficou negativa e em positiva.

Existe algo muito curioso, na Alemanha é lei o pai biológico ser considerado, o nome dele tem que constar, isso é um direito básico, e ele é assegurado por lei. Nenhuma criança é privada de saber quem são seus pais. Na Alemanha, toda a criança tem o direito de saber quem são seus pais, a criança tem o direito de saber o nome do pai e saber quem é ele.

Isso por si só já revela uma grande diferença entre essas duas nações...O Brasil por exemplo, normalmente o pai da criança não existe...isto é, existe, porem é tratado como se não existisse...na maioria das vezes ele é ignorado, excluído, com ou sem razão.

É muito fácil no Brasil, todo o tipo de desordem do amor, com origem nessa questão, onde os homens, fazem filhos e não o assumem de nenhuma forma...não temos uma lei que assegure os direitos da criança, desde essa base...por isso, é muito fácil o abuso e o desrespeito. E tantas outras coisas...

Ou então, a mulher que resolve ser mãe, e logo, providencia um homem que na maioria das vezes, é utilizado como um objeto para reprodução, e logo a ser excluído...obviamente, que estamos falando de uma mentalidade muito antiga que resulta em toda a sorte de abusos e desrespeito. Isso no Brasil é histórico.

O fato que nas dinâmicas ocultas,  não importa o que aconteceu, a criança sempre estará olhando para aquele que foi excluído, esquecido e o segue. Já vi inúmeros casos...

Só quando concordamos e que liberamos.

As novas constelações, trazem soluções que estão muito alem de nossa compreensão.

O importante nesse caso, e sanar a dor do abandono. E resgatar o amor que foi interrompido.

Assim os pais adotivos podem sentir-se melhores e a criança também.

Outro fator importante, é o pai, ou a mãe que doam seus filhos. Isso normalmente gera um culpa muito grande. Um peso. A pessoa carrega uma necessidade de expiar essa culpa, e o faz, sem consciência, atraindo para si situações de dor e sofrimento.

É importante o pai ou a mãe que doaram seus filhos poderem olhar pra isso e liberarem essa dor.

É importante olhar para essa criança e colocá-la em seu coração. É obvio que uma mãe que entrega sua criança perde os direitos sobre ela, para sempre.É preciso aceitar isso...

Compreendendo e concordando com algo que está muito alem de seu entendimento,  pode revelar uma solução profunda e transformadora.

Constelar é sempre muito importante, pois as ordens do amor, permite que cada um, assuma seu lugar e de forma profundamente amorosa se de uma nova chance para que o amor possa voltar a fluir, dando um sim para a vida e para os acontecimentos.

A pessoa ao ver a verdade, com coragem, resgata também sua dignidade e sua força para seguir adiante.

Para maiores informações entre em contato:

Cida Medeiros
contato@cidamedeiros.org
cidamedeiros@gmail.com