Entrevista com Silvia Brezzi

Silvia Brezzi, é essa pessoa especial, que brinda-nos com uma entrevista especial, e conta um pouco de sua história dentro do Xamanismo e como conciliou sua pratica como Psicologa e Xamã.








Silvia Brezzi, também é umas das Diretoras da Paz Géia, e está sempre presente, zelando e cuidando da proposta que a Paz Géia oferece a todos.

A Silvia é sempre essa pessoa gentil, que recebe bem a todos e sempre arruma um lugarzinho especial para quem chega. É acolhedora e gentil.

Estou Feliz por essa entrevista. Valeu Silvia!

Cida Medeiros

Perda da Alma


O xamanismo é um método de cura que lida com o aspecto espiritual da doença.

Há três possíveis causas para uma doença:

- Uma pessoa pode ter perdido seu poder, o que causa depressão, doenças crônicas, ou uma série de desventuras. Neste caso, o xamã realiza uma jornada para restaurar o poder da pessoa. 

- A pessoa pode perder parte de sua alma ou de sua essência, o que causa a perda da alma, e isto geralmente ocorre durante um trauma físico ou emocional, como um acidente, uma cirurgia, abuso, o trauma da guerra, presenciar um desastre natural, a morte de um ente querido, ou outras circunstâncias traumáticas.

 - 
Outra causa de doença, segundo a visão do xamanismo, seria qualquer obstrução espiritual ou energias negativas que um cliente absorve, devido à perda de seu poder ou sua alma. Essas obstruções espirituais também causam doenças, geralmente em uma área localizada do corpo. Esta é a função do xamã: extrair e remover as energias prejudiciais do corpo.

Um xamã cura tanto os vivos quanto os falecidos. No processo com os que já faleceram, o xamã realiza uma cerimônia de psicopompo, a fim de ajudar aqueles que morreram a atingir um local cheio de paz e conforto. A cerimônia também pode afastar da casa ou local os espíritos que não conseguem descansar.
A cura xamânica lida com o aspecto espiritual da doença, e não há como predizer quais serão os resultados manifestados emocionalmente ou fisicamente. 

A cura xamânica não substitui a necessidade de um tratamento médico fisiológico tradicional.
É importante entender que, na prática do xamanismo, o Xamã trabalha em conjunto com seus espíritos ajudantes. Os espíritos ajudantes realizam o diagnóstico e dão conselhos sobre qual cerimônia de cura deve ser realizada.

O Xamanismo é uma arte, onde entramos em estados alterados de consciência e viajamos nos mundos paralelos, com auxilio de nossos animais de poder ou mesmo nossos aliados espirituais e efetuamos a limpeza espiritual e o que for necessário para auxiliar a pessoa a entrar em sintonia novamente com suas forças.


assim falei,
Ahow
Cida Medeiros

Bioxamanismo

Aqui nesta entrevista, Maria Luiza Rezende, Médica Homeopata e Xamã, fala sobre seu trabalho, sua trajetória pessoal dentro do Xamanismo e sobre o Bioxamanismo.










Maria Luiza Resende é umas das Diretoras da Paz Géia e desenvolve cursos de Xamanismo Matricial e outros. Além de ser uma pessoa especial, dedicada e muito presente na Paz Géia, sendo um dos Braços-Forte de Carminha Levy, sustentando a proposta da Escola, sempre presente.

Aqui, ela nos brinda, concedendo-nos uma entrevista. Vale a pena Assistir.

Maria Luiza Rezende desenvolve os seguintes trabalhos:

Resgate da Alma
Limpeza Energética
Reprogramação do DNA Sutil
Cura Holografica da Linha do Tempo

Atendimento Xamânico

Paz Geia

Consultório:
Clinica Geral com Homeopatia
Dr. Martinico Prado, 26/114
Fone (011) 3362-1809

Meditação e a Consciência da Paz

No Programa Alquimia Interior que vai ao na TV Espiritualista, Uma TV via Web, Cida Medeiros
fala sobre meditação, chakras e sobre a consciência da paz.

Na videoteca você tem acesso atraves do link:

http://www.tvespiritualista.com.br/site/catalogo/arquivos.php?idarquivo=403

-Topicos desenvolvidos:

"Curso de Xamanismo Havaiano" -
Na paz Geia - dia 31 de março e 02 de abril de 2007.
das 9:00hs as 18:00hs - Sabado e Domingo.
Faça já sua inscrição!
Fone 3846-5211
www.pazgeia.org.br


Cida Medeiros fala sobre a importância da Meditação no mundo atual.

Sobre as formas pensamentos negativas de teor coletivo que são combativas pelas formas pensamentos positivas que se cria a partir da pratica da meditação. Das estações de luz que se criam ao realizar a pratica da meditação.

Existem varias formas de se realizar a meditação.

A importância de se fazer a visualização com imagens criativas, para as mais diversas finalidades.

Na Filosofia Huna, podemos realizar a pratica da imagens mentais para levar ao EU Superior para que se cristalize o nosso futuro.

Tambem é fazer Kala, toda a pratica de purificação para si mesmo e para o coletivo.

Assistam na integra o programa na videoteca ou mande emails: cida.medeiros@gmail.com

A seguir a reflexão na integra do texto Rosa-Cruz que fala sobre a responsabilidade que temos pela paz ou pela guerra:




Sou responsável pela guerra...Sou responsável pela paz, quando...
Quando orgulhosamente faço uso da minha inteligência para prejudicar o meu semelhante.Se direciono correta e construtivamente os poderes da minha mente.
Quando menosprezo as opiniões alheias que diferem das minhas próprias.Se concedo ao meu semelhante o direito pleno de se expressar, de acordo com o seu próprio entendimento das verdades da vida.
Quando desrespeito os direitos alheiosSe reconheço que os meus direitos cessam quando se iniciam os direitos de outros, e aceito isso como um mínimo indispensável de disciplina.
Quando cobiço aquilo que uma outra pessoa conseguiu honestamente.Se faço uso dos poderes para criar as minhas próprias oportunidades.
Quando abuso da minha superioridade de posição, privando outros de sua oportunidade para progredir.Se consigo promover a evolução dos que me cercam, sem considerar ameaçada minha posição, e entendo que esta é a minha maior fonte de sucesso.
Se considero apenas a mim próprio e a meus parentes pessoas privilegiadas.Se compreendo que as leis divinas diferem das criadas pelo homem, e que nenhum direito divino especial é concedido a alguém unicamente por seu berço.
Quando me concedo direitos para monopolizar recursos naturais.Se reconheço que os recursos naturais devem servir indistintamente a todas as formas de vida, e que não me cabem direitos exclusivos sobre eles.
Se acredito que outras pessoas devem pensar e viver da mesma maneira que eu.Se compreendo que nada é mais livre do que o pensamento e que o pensamento construtivo transforma o homem, direcionando-o ä sua verdadeira meta.
Quando penso que o sucesso na vida depende exclusivemente do poder, fama e riqueza.Quando sinto que toda a felicidade depende do simples fato de existir...de estar de bem com a vida.
Quando penso que a mente das pessoas deve ser educadas pela força e não pela razãoSe percebo que todo ser humano pode vir a ser um grato amigo, quando convencido pela argumentação sincera.
Se acredito que o deus de minha concepção e aquela em que os outros devem acreditar.Se considero que a alma de deus adquire personalidade no homem e que este só pode conceber deus a partir de sua própria percepção da divindade.
Quando penso que o pais em que nasce o individuo deve ser necessariamente o lugar onde ele tem de viverSe reconheço a mim a ao meu semelhante como partes integrantes do universo e que cada um cabe a busca do lugar onde melhor possa servir.




--
Assistam o Programa "Alquimia Interior"
Com Cida Medeiros
vejam na grade da Tv Espiritualista:

www.tvespiritualista.com.br


Cida Medeiros
Psicoterapeuta Holistica com enfoque Transpessoal, formada pela Dinâmica Energética do Psiquismo (DEP), Regressão de Memória, Terapeuta Floral, Reiki, Magnifield Healing, Treinamento nas Técnicas de Cura de Barbara Brennan (Mãos de Luz), Renascimentos, Espiritualista com varias iniciaçoes no Xamanismo, Magia e nas tradiçoes Afro-Brasileiras. Facilitadora de Xamanismo Havaino na Paz Géia.

Culpa - Programa "Alquimia Interior"

Cida Medeiros
Cida Medeiros em seu programa "Alquimia Interior" na TV Espiritualista, fala sobre a culpa e dá algumas orientações a respeito, baseado na filosofia e tradição do Kahunas.

www.tvespiritualista.com.br
videoteca
Segue um complemento do Assunto:

Culpa se refere à responsabilidade dada à pessoa por um ato que provocou prejuízo material, moral ou espiritual a si mesma ou a outrem. O processo de identificação e atribuição de culpa pode se dar no plano subjetivo, intersubjetivo e objetivo.
No sentido subjetivo, a culpa é um sentimento que se apresenta à consciência quando o sujeito avalia seus atos de forma negativa, sentindo-se responsável por falhas, erros e imperfeições. O processo pelo qual se dá essa avaliação é estudado pela Ética e pela Psicologia.
No sentido objetivo, ou intersubjetivo, a culpa é um atributo que um grupo aplica a um indivíduo, ao avaliar os seus atos, quando esses atos resultaram em prejuízo a outros ou a todos. O processo pelo qual se atribui a culpa a um indivíduo é discutido pela Ética, pela Sociologia e pelo Direito.

Sentido jurídico

Em direito, culpa é a violação ou inobservância de uma regra, que produz dano aos direitos de outros, por negligência, imprudência ou imperícia, ou seja, em razão da falta de cuidado objetivo. É o erro não-proposital.
Diferencia-se do dolo porque, neste, o agente tem a intenção de praticar o fato e produzir determinado resultado: existe a má-fé. Na culpa, o agente não possui a intenção de prejudicar o outro, ou produzir o resultado. Não há má-fé.

Sentido religioso

O sentido religioso de culpa, pelo qual um ato da pessoa recebe uma avaliação negativa da divindade, por consistir na transgressão de um tabu ou de uma norma religiosa. A sanção religiosa é um ato social, e pode corresponder a repreensão e pena objetivas. De outra parte, a culpa religiosa compreende também um estado psicológico, existencial e subjetivo, que propõe a busca de expiação de faltas ante o sagrado como parte da própria experiência religiosa. O termo pecado está geralmente ligado à culpa, no sentido religioso.

Sentido psicológico

Em psicologia discute-se a culpa como o sentimento de culpa ou remorso.
O Sentimento de Culpa é o sofrimento obtido após reavaliação de um comportamento passado tido como reprovável por si mesmo. A base deste sentimento, do ponto de vista psicanalítico, é a frustração causada pela distância entre o que não fomos e a imagem criada pelo superego daquilo que achamos que deveríamos ter sido.
Para a Psicologia Humanista-existencial, especialmente a da linha rogeriana, a culpa é um sentimento como outro qualquer e que pode ser "trabalhado" terapeuticamente ao se abordar este sentimento com aquele que sofre. Para esta linha de Psicologia, um sentimento como esse, quando chega a ser considerado um obstáculo por aquele que o sente, é resultado de um inadequado crescimento pessoal mas não é considerado uma patologia. Para os rogerianos, todas as pessoas têm uma tendência a atualização que se dirige para a plena auto-realização; sendo assim, o sentimento de culpa pode ser apenas limitação momentânea no processo de auto-realização.'

A Nível da Alma a culpa tem haver com o modelo de Perfeição e o modelo de paraíso que cada um tem em relação a sua herança cósmica esta na memória celular e podemos dizer que também é Arquetipico. A pessoa pode estar identificada com a Culpa primordial.

Pelos Kahunas a questão de culpa é encarada como uma crença ou fixação no Eu Básico, e se o Eu Básico e o Eu Médio se convencem de que ouve um pecado, então se produz uma idéia fixa de que deve receber um castigo pelo pecado cometido. Então o Eu básico poderá produzir um acidente ou uma doença.

No sistema Huna atribuída pelos Kahunas toda culpa e pecado de sofrer “Kala” que é uma purificação, em casos graves, deverá ser feito um serviço desinteressado ao próximo de modo a espiar a culpa ou pecado.

O problema do complexo de culpa e que ele permite um enfraquecimento da energia vital e uma possível atuação de outros eu básicos, que retiram a força vital de outros indivíduos a fim de produzirem obsessão.

Cida Medeiros

Curso Manutenção Energética para Curadores e Educadores

Cida Medeiros e Maria Luiza Rezende

Assistam a Entrevista com Maria Luiza Rezende realizada por
Cida Medeiros no programa “Alquimia Interior”.

A seguir o curso oferecido por ela:

PAZ GÉIA convida ...

Curso : “Manutenção Energética para Curadores e Educadores”

Como profissionais da área da Saúde e Educação nos deparamos inúmeras
vezes com situações no nosso cotidiano em que percebemos ocorrer desestabilização
da nossa energia vital ou sentimos que gostaríamos de ao final de uma jornada de trabalho,
ter maior bem estar e disposição para nossas próprias atividades.
Através de práticas que envolvem foco e intenção clara aliadas a meditação ativa
poderemos conhecer os caminhos de circulação da nossa energia assim como aprender
a avaliá-la e reequilibrá-la alcançando melhor desempenho
em nossas atividades profissionais com menor desgaste energético.

Algumas técnicas que serão abordadas nos encontros semanais envolvem Tradição Xamânica,
Terapia de Liberação, Energética e Fractologia: espelhamento profundo, encontro com a inteligencia instintual, balanceamento da Kundalini, fortalecimento da energia dos rins (força corporal ancestral),
ativação e expansão da energia do sistema de chacras.

Início : Março – 3ª feira – 20h às 21h30 ( 05 encontros )
Maria Luiza Rezende – é médica homeopata e facilitadora xamânica formada pela Paz Geia
Instituto de Pequisas Xamânicas, tendo como especializações Resgate de Alma, Limpeza Energética,
Reprogramação do DNA Sutil, Cura Holográfica da Linha do Tempo.

Xamanismo Havaino - Iniciação nos Mistérios


Xamanismo Havaiano

O sistema Huna de conhecimento foi pesquisado por Max Freedom Long, um psicólogo americano que descobriu a existência dos sacerdotes kahunas, passou a levantar dados e a pesquisar sobre a magia e todos os acontecimentos extraordinários que ocorriam no Havaí e ficou durante 14 anos pesquisando e entrando em contatos com os seus conhecimentos e mistérios. Saiba um pouco sobre a Filosofia Huna e sobre a magia dos Kahunas.

O sistema Huna está ligado a uma psicologia espiritual dos três eus.

- Eu Basico (Unihipili)
- Eu Medio (Uhane) -
- Eu Superior (Aumakua) - Espírito Paternal, totalmente confiável.

Cada um tem um significado muito especial dentro da filosofia huna, e existem exercícios para se trabalhar com cada um deles, pois uma vez, harmonizando os três eus, haverá harmonia, paz e saúde.

O Eu superior é capaz de promover curas instantâneas e o Eu básico é uma energia ligada à memória e ao karma, por ser caótica deve ser doutrinada para servir o Eu médio que é a consciência do individuo. Esses três eus em harmonia, a pessoa é capaz de muita coisa.

Temas que serão desenvolvidos:

O que é Kahunas. Um pouco de história.
Origens do Sistema Huna
Os Três Eus – Uhane, Unihipili, Aumakua, o que é, características, tarefa e constituição.
Os Dez Elementos da Psicologia Huna
A Evolução dos Eus
O Mana
A Filosofia do Aloha e os Sete Princípios
A Tradição Esotérica Huna
Prece Ação
Por que desbloquear o caminho do Eu Superior
Kala
Fio Aka
Kanaloa
Comparação com a Tradição do Culto do Ifá, suas similaridades.
Viagem para entrar em contato com seu Unihipili
Respiração Piko-piko
Hooponopono
Questão da Culpa e dos complexos dentro da tradição Huna.

O Sistema Huna permite que se entre em qualquer doutrina, sistema ou religião, e entender o mecanismo oculto dos mesmos. Também como fazer sua magia pessoal através dos ensinamentos kahunas.
Cida Medeiros
Psicoterapeuta Holística, Neo-Xamã.

Realização: Paz Geia

Dia: 31 de março de 2007 das 9:00 as 18:00hs e Domingo das 9:00 as 18:00 hs.
Maiores informações:
(011) 3846-5211 – Inscreva-se já, vagas limitadas! Ou acesse o site:

Carminha Levy

Carminha Levy, sempre espalhando doçura, amor e acolhimento com sua presença.

Nesse entrevista, Carminha fala sobre Xamanismo, sua prática de trabalho, e sua experiência como Xamã e Psicóloga.










Carminha Levy, é convidada especial do Programa Alquimia Interior, ela é Fundadora da Paz Géia, que é um instituto de pesquisas xamânicas. É a primeira escola de Neo-Xamanismo do Brasil com o Xamanismo Matricial.

Carminha Levy, também é Presidente de Honra da Abrax - Associação Brasileira de Xamanismo.

Paz Géia
Fone (011) 3846-5211

Entrevista Gravada em 02/02/2007 na TV Espiritualista.

Xamanismo Matricial

Entrevista com Carminha Levy no Programa Alquimia Interior

Vale a pena assistir.

Carminha Levy, fala sobre o Xamanismo Matricial e as diferenças com o Xamanismo Nativo e sua prática nesse caminho.



Entre no Link e assista a entrevista

Xamanismo Nativo e o Xamanismo Matricial


Cida Medeiros



Alquimia Interior


O nome para o Programa Alquimia Interior foi inspirada no significado da palavra "Alquimia".

Alquimia é uma pratica antiga, onde os iniciados eram conhecedores da Química, Astrologia, Magia, Filosofia, Matemática, Misticismo, Religião, sabiam operar com os metais e os elementos químicos.

Esses antigos Alquimistas procuravam transmutar os materiais mais elementares em ouro. Mais o que se sabe de verdade é que isso era uma metáfora de algo muito mais profundo.

Transmutar dentro de si, elementos grosseiros da sua própria natureza inferior em aspectos positivos da natureza mais elevada. De um homem comum ao homem incomum, de grande valor.

A Águia


Como diria nossos antepassados sábios, cada coisa na natureza possui seu lugar sagrado.

A Águia é apenas mais uma expressão desse Sagrado, como uma das inúmeras criações Divinas.

Não mais, ou menos, importante, na Roda de Cura, na medicina dos Anciões.

Existe no Xamã a capacidade de entrar em estados alterados de consciência e buscar a medicina de cura necessária àquele momento.

Águia pode ser um animal de poder, conectado a uma linhagem que fala especialmente aqueles que por alguma razão são escolhidos por essa medicina em particular.

Normalmente acontece por meio de um ritual xamanico, quando você se conecta com a sabedoria dos seus ancestrais, quando isso acontece, você sente-se mais poderoso, capaz de enfrentar qualquer situação e mais pleno do seu Ser.

Águia significa a capacidade de elevar-se acima das nuvens e de ver além. Como ela conseguem voar alto conecta-se com a energia do Sol, o fogo solar, que represente a consciência elevada e superior, O Grande Espirito, o Avô Sol, que libera o entendimento e expulsa a ignorância, traz luz, e revela a sabedoria.

Por isso é tão amada e considerada a Rainha das aves, coroa o simbolismo geral destas, e traduz os estados espirituais superiores.

Na Antiguidade Clássica era a Ave de Zeus, com o qual chega a identificar-se.

E também o símbolo da percepção direta da luz intelectiva: A Águia fita o sol de frente, sem temor", escreve Angelus Silesius.

Os salmos a têm como símbolo de regeneração espiritual, assim como a Fênix.

É a ave de luz e iluminação.

Pássaro Solar, é a imagem do sol, do fogo, da altura, e representa o rei enquanto filho da luz, pois o iniciado também é Rei.

Possui visão penetrante e se compara ao "olho que tudo vê".

É o simbolo de Jõao, cujo o evangelho inicia-se com o reconhecimento do Logos-Luz.

Um grande aliado de poder, um grande instrumento de Cura!

Eu, Cida Medeiros
Falei!
Ahow!

Nossa Cruz

A cruz que cada um carrega, é uma expressão popular que representa o sofrimento ou acarga de
compromisso que cada um possui diante do seu carma pessoal. Significa que cada um de nós
deve vestir-se com sua coroa de dignidade e levar adiante sua cruz, sendo ela pesada ou leve.
Representa o fardo que cada um carrega.
Numa perspectiva mais ampla, seria o esgotamento de ações do passado próximo ou
muito antigo, a fim, de alcançar uma maior consciência e uma maior compreensão de vida.
Com isso, cada um veste sua cruz pessoal e participa de uma cruz coletiva. As vezes
acontecimentos sociais, catastróficos nos paralisam e chocam devido a violência e a crueldade
que o ser humano é capaz de chegar.
Tomemos por exemplo os últimos noticiários da TV, com barbárie de violência e crime que beiram
a uma sandice social.
Difícil não se sentir tocado e amargurado com acontecimentos que roubam da infância a inocência
e perturbam o senso de harmonia social. Vejamos o caso dessa criança, recentemente morta,
de forma violenta, arrastada por kilometros de distância, de baixo dos olhares atonitos e do
sofrimento e da impotência de sua mãe. Um crime bárbaro.
Com isso, enxergamos a dura realidade, nos deparamos com um acontecimento que roubam
de nós a esperança e chega a enfraquecer o nosso espírito, tamanha tristeza e agonia, e
percebemos a nossa impotências social.
E vemos então as diferentes cruzes, que cada um carrega, apontando as diferenças sociais,
econômicas, políticas e de classes sociais, compondo assim a grande Cruz Coletiva.
Mas a origem das diferentes cruzes está em nossas mentes, pois é dela que tudo emana.
Mesmo atonitos e perplexos, devemos tornar isso tudo mais agradável, emanado a paz,
a propósito da dor que sentimos e que sofremos pelo estado caótico em que vive o mundo.
Esse é um dos desafios que enfrentamos numa sociedade desigual e injusta.
A alquimia mental, nos fornece elementos para transmutar o nosso estado de espírito com
objetivo de tornarmos pedaços de paz. E com isso, criar um estado de paz interior, que
se somara a todos os espíritos de boa vontade que possam vibrar uma nova consciência
planetária. Oxalá, nós abençoe, para caminhar dentro da luz, apesar dos pesares.
A grande sabedoria, herdada por nossos antepassados sábios, nos ensina que para
modificarmos o mundo, devemos antes de mais nada, modificar a nós mesmos,
fazendo nossa alquimia mental e compreender o que somos e o que pensamos.
Com isso, vibramos mais amor, mais paz, mais harmonia e espalhamos a semente
no solo fértil, que brotará e germinará em ações auto-conscientes.
Então, mesmo com o coração partido, caminhando na estrada da paz, e enfrentando
a guerra dos que se opõem ao nosso caminho, devemos nos lembrar que o Ser Humano é
uma manifestação de atributos do Ser Cósmico, ou Deus, ou O Eu Superior, Oxalá, Obatalá,
como queira, e logo, ter a consciência que o ser humano não é importante em si mesmo,
por si mesmo e para si mesmo, mas sim no cumprimento de sua função divina em
sociedade, na busca pela manifestação dessa ação consciente em nome da Paz,
buscando a meta maior rumo a Paz Mundial!
Cida Medeiros

Empatia


Foi ao Ar nesta quinta feira dia 15/02/07 o  Programa Alquimia Interior, apresentado e dirigido por Cida Medeiros, Psicoterapeuta Holística com enfoque Transpessoal.

Falando sobre a empatia, mais algumas considerações à respeito do assunto em questão:

Empatia – Do grego (emphateia) – Tendência de para sentir o que se sentiria caso se estivesse na situação e circunstâncias experimentadas por outra pessoa.

Hoffman (1981), empatia é a resposta afetiva vicária a outras pessoas, ou seja, uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa, e não à própria situação.

Pesquisas indicam que a empatia tem uma resposta humana universal, comprovada fisiologicamente. Dessa forma a empatia pode ser tomada como causa do comportamento altruísta, uma vez que predispõe o indivíduo a tomar atitudes altruístas.

Mac Lean apud Hoffman,  sugere que o sistema límbico, uma das partes mais antigas do nosso cérebro, e suas conexões com o córtex pré-frontal estariam envolvidas na empatia, proporcionando aos homens a capacidade de se colocar no lugar dos outros e "sentir o que eles podem estar sentindo".

Dessa forma, uma empatia primitiva estaria presente desde cedo na evolução humana. Empatia uma forma de cognição, de tal forma que pôde ser experienciada em conjunto com uma consciência social mais desenvolvida.

Estudos de neuro-imagem sugerem que regiões associadas com emoções específicas podem ser ativadas pela visão da expressão facial da mesma emoção, fenômeno descrito como contágio emocional.

Essas experiências mostraram ativação em áreas relacionadas com a percepção e produção de expressões faciais de emoção comprovaram que, de fato, a experiência empática tem bases neuronais, através de uso imagens da atividade cerebral (obtidas por ressonância magnética) em experiências nas quais voluntárias recebiam uma estimulação de dor na mão e da comparação desses resultados com aqueles obtidos nas mesmas voluntárias quando seus esposos recebiam o estímulo doloroso, no mesmo aposento.

Estudos mostram o choro reflexo do recém-nascido como um precursor possivelmente inato de ativação empática.

A resposta empática de aflição contribui para o comportamento de ajuda.

Foi observado que quanto maiores os sinais de dores de uma vítima, aumenta também o nível de ativação empática e a velocidade com que o observador presta ajuda
Hoffman observou que crianças menores de 1 ano, que não têm consciência de individualidade, confundem a dor do outro com a sua própria, agindo como se ela mesma estivesse sentindo dor.

Já as crianças entre 1 e 2 anos, que não têm noção de que as pessoas têm pensamentos e sentimentos, tentam ajudar fazendo algo que agradaria a elas mesmas – um exemplo é da criança que traz sua mãe para consolar um amigo que chora, mesmo estando a mãe do garoto angustiado tão disponível quanto a mãe do garoto que oferece ajuda.

Crianças de 3 e 4 anos manifestavam preocupação e apresentam comportamento de ajuda. O ajustamento inclusivo pode ser um fator determinante do altruísmo.

Garotas de 6 e 7 anos mostram maior empatia ao assistirem a slides com outras meninas em situações que demonstram entre outras sensações, alegria e tristeza do que garotos assistindo a slides com outros garotos nas mesmas situações.

Klein aplicou um teste semelhante, mas separou as garotas negras e brancas. As meninas que participaram da experiência verbalizaram empaticamente com garotas de sua própria etnia.

A super-ativação empática ocorre quando a ativação empática é tão intensa que o observador volta a atenção para si mesmo em vez de voltá-la para a vítima.

Auto-recompensa


Quando a vítima exibe sinais de alívio ou alegria após ter sido ajudada, a pessoa que ajudou pode sentir alegria empática. Uma vez tendo experenciado alegria empática, a pessoa pode sentir-se motivada a ajudar novamente de modo a sentir a alegria empática outra vez. Essa auto-recompensa inerente na empatia não é um processo consciente e pode ter sido um fator adaptativo.

Continuem assistindo e participando do programa Alquimia Interior, com Cida Medeiros.

Jornada Interior com Cida Medeiros



Cida Medeiros fala da importância da reflexão e da mudança nos pensamentos a fim de se criar uma nova realidade.


Cida Medeiros faz uma profunda reflexão sobre os relacionamentos, sobre o entendimento dialogo, sobre a importância de saber ouvir e principalmente o respeito e a aceitação.
www.cidamedeiros.com

Estados de Ego - Analise Transacional

Estados de Ego:

Segundo Eric Berne, criador de uma teoria nova da Psicologia, chamada de Análise Transacional, que integra com outras ciências a :

- Terapia Multimodal de Lazarus
- Terapia Gestalt de Pers;
- Comportamentalismo humanista com Lazarus, Bandura, Mahoney e Beck
- Hipnoterapia de Milton Erikson
- Programação Neurolinguistica de Bandler e Grinder
- Psicodrama de Moreno
- Terapia Familiar e Teoria da Comunicação (Satir, Watzlawick, Bateson)
- Conceitos de Abraham Maslow, Carl Rogers, Rollo May, Victor Frankl.

Formando assim uma nova teoria individual e social do comportamento humano.

Transacional é um termo criado a partir da idéia de se estudar, analisar, as trocas; de estímulos e respostas ou transações entre indivíduos.

Principais características:

- É uma filosofia positiva e de confiança no ser humano.
- É um modelo de aprendizagem
- Fundamenta-se em necessidades biológicas.
1. Afeto, contato físico. (Corpo Físico)
2. Identidade, autonomia, estruturação do tempo (Psicológico)
3. Reconhecimento, pertencer ao grupo, destacar-se em alguma coisa (Social).

Estruturação:

Esquema da Personalidade:
- Pai
- Adulto
- Criança

Conceito de Personalidade:
“Organização dinâmica de idéias, atitudes e hábitos, montados sobre bases psicofísicas, biologicamente herdadas e sobre valores culturais socialmente transmitidos, que compreende as adaptações das necessidades do individuo às exigências e potencialidades de seu meio social.”

Conceito do “Eu”

Si mesmo. “A concepção que um individuo tem de sua própria personalidade”.

Conceito de Comportamento

“Resposta de um organismo às mudanças do meio”.
“O que sente, pensa, diz e faz” O que se sente e pensa é o comportamento subjetivo (interior, privado, “dentro da cabeça”).

O que se diz e faz é o comportamento objetivo (exterior, público, observável, registrável mediante gravações ou filmes).

No enfoque “humanístico”, as mudanças se realizam de “dentro para fora”: mudando o que se pensa e sente, muda-se o que se diz e faz.

No enfoque “comportamentalista”, as mudanças se efetuam “de fora para dentro”: mudando-se o que se diz e faz, muda-se o que se pensa e sente.

Isso indica que muitas vezes a pessoa se comporta de uma maneira segundo o ambiente, o que pode indicar muitos traços de personalidade.

Esquema:

Estado de Ego Pai - O que se deve fazer, uma espécie de reservatório de normas, valores, preconceitos e modelos de conduta.

Estado de Ego Adulto - Racional, lógica, escrita, elaboração, raciocínio, entendimento, dialogo, compreensão, solução, analise, planejamento.

Estado de Ego Criança - Age como na infância ou tem reações infantis. Choro, carência, espontaneidade, sonho, alegria, leveza, pureza, raiva e brigas.

O emprego rígido de alguns dos estados de ego acima acaba por formar uma patologia ou um desequilíbrio.

O Estado de Ego pai se divide em dois, o Critico, no aspecto positivo e a postura de firmeza, ordem, controle, fixação de limites adequados. No negativo: preconceitos, insultos, autoritarismo, desvalorização alheia.

Pai Nutritivo ou protetor. Apoio ao crescimento alheio, proteção, compreensão, consolo, permissão para viver, desfrutar, educação. No negativo: Superproteção, “untuosidade”.

Estado de Ego Adulto – Não tem divisão, mais vai de um nível mais elementar a um mais elaborado e desenvolvido. Como Tarefas mecânicas. Repetitivo e intelectual, tarefas com algum grau de pensamento, planejamento. Analítico, estuda dados de realidade, resolve problemas, programa-se a si mesmo.
Elabora a realidade, Pondera, Reflete, Raciocina, Pensa.
Estado de Ego Criança se divide em três:

Criança livre. Não modificada pela educação. O espontâneo. Emoções autenticas ou intuição, criatividade, espontaneidade, curiosidade.

Criança Submissa. Que aprendeu a obedecer, disciplinada: às vezes desvalorizada, rebelde.
Criança rebelde, opositora, desafiante, provocadora, competitiva. Com a criança submissa e a criança rebelde se forma a criança adaptada, adaptada ao ambiente da infância.
Nessas inter-relações estabelecem-se as saúdes ou as patologias. De acordo com o grau de exclusão e fixação de um dos estados de Ego em detrimento do outro.

Por Cida Medeiros –
Material pesquisado no Livro “Analise Transacional ao Vivo de Roberto Kertesz – Ed. Summus”.