Abertura do III Festival Mundial da Paz - Pq Ibirapuera dia 06 de Setembro as 17:00



Queridos,

Depois de meses acompanhando a construção do III Festival Mundial da Paz, em todos os seus desafios, eis as noticias... 

Nessa escuta imaterial que nós anima, em um evento dessa magnitude, realizada por voluntários comprometidos com a causa da paz, imbuídos de uma forte perseverança, uma coragem e ousadia espetacular, temos a honra de ver o Festival nascendo em terra, como uma criança que vem ao mundo e espera abrir os olhos e ver você, com seu sorriso de acolhimento.

Dizendo Sim, é possível!!! Eis o fruto dos que ousaram acreditar... 

E que esse festival possa nascer também com o amparo da sua qualidade de Fé, Amor, Presença e Consciência.  

Oficialmente a abertura do Festival, com a Presença da Rodas de Tambores para a Paz, (todos são convidados a estarem com seus instrumentos de poder na Praça da Paz), a seguir no Espaço Sol na Arena de Eventos, termos a apresentação musical de Daniel Namhkai e logo as 19:30 a Conferencia de Yves Leloup.

E o Festival segue com inúmeras atividades ao longo do Parque Ibirapuera e o Circulo Militar.

Convidamos à todos que sentirem o chamado a estarem juntos nesse momento.

As 17 hs é o Mantra de conexão com o Festival, onde todos param, meditam e ancoram a qualidade espiritual que sustenta esse imenso evento pela Paz: 

"Que a chama da Paz, ilumine, aqueça e habite o coração de toda a Humanidade!"

Venha! Coloque a sua qualidade! A qualidade que você quer ver nascer no Mundo! 

Que a Paz esteja com você!

Cida Medeiros




--

Cida Medeiros
Coordenadora das Constelações Familiares no III Festival Mundial da Paz.
Espaço do Cuidado - 06
Terapeuta a Escuta do Ser.
Facilitadora das Constelações Sistêmicas 
(011) 55390419 begin_of_the_skype_highlighting            (011) 55390419      end_of_the_skype_highlighting (Fixo)
(011) 996383190 (Vivo)
(011) 953595322 (Tim)

Web:

Blog Cida Medeiros
Follow Twitter
Home Page
Curtam minha: Fan Page
Skipe: cidamedeiros

UNYK é: UFV 111


A Chama da Paz no Instituto Paz Géia

Nelma da Silva Sá, Carminha Levy, Dulce Magalhães e Cida Medeiros
Carminha Levy, Cida Medeiros e a Tribo Paz Geia 

Tiveram a honra de receber nessa segunda feira dia

27.08.12

 Dulce Magalhães e Nelma da Silva Sá 

 Duas lideranças pelo mundo à serviço da Paz! 

Para realização da cerimonia de acendimento da "Chama da Paz"

Que afirma e reafirma nossa aliança e irmandade, aos valores e propósitos da Cultura da Paz; 

em ressonância


e o Mantra Peace of Peace que Carminha Levy recebeu do Oceano Pacifico, 

em uma linda inspiração que conectou à sua missão de alma e levou a criar e fundar a Paz Géia

 o primeiro Instituto de Neo-xamanismo no Brasil. 



Milhares de grupos já acenderam a chama em vários lugares do mundo ao redor do planeta.

Isso cria um Campo de força que vai atraindo milhares de pessoas, que vão sentindo o chamado e fazendo suas ações em seus grupos espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Assim ações silenciosas, ancorando mais luz no Planeta!

 O brilho da iluminação da Chama é um convite à você! 

 Junte-se a nós!

 Venha acender a chama!

 Manifeste sua Paz !

 De 06 a 09 de Setembro no Parque Ibirapuera e a localmente;
em vários pontos do Brasil e do Mundo!
 Cida Medeiros

 Que a chama da Paz ilumine, aqueça e habite o coração de toda Humanidade". 

A Felicidade em Ação

Pingo de Orvalho

"Os pensamentos são coisas, e o que você permite entrar em sua mente é parte de uma realidade desconhecida do universo das coisas imateriais". Cida Medeiros

De fato o trabalho com a Técnica do Ho'oponopono, permite que você ao invés de ficar conectado com as memórias do sub-consciente, do passados, dos traumas e tantas outras crenças formadas ao longo da criação, você limpe o caminho que te conecta com o Eu Superior. Aquilo que os Kahunas chamam de Aumakua...Poe-Aumakua.

As Constelações Familiares é uma pratica de limpeza do caminho que te conecta com o "Eu Superior", por isso muitas vezes, quando encontramos uma boa resolução dentro da pratica da constelação, sentimos uma rajada de energia, onde todo o corpo participa de uma experiencia de contato com o Eu Superior, sentimos como um chuva cristalina que nos abençoa. Isso é uma resposta maravilhosa que o Eu Superior nós fornece indicando que o caminho que estava bloqueado fora liberado.

Conhecemos no o Ho'oponopono, nas praticas de Meditação ou mesmo como as Constelações Sistêmicas, formas ou instrumentos de fazer limpeza para nos liberarmos das amarras que nos aprisiona no Ego-Mental que nos aprisiona em situações que não revelam o potencial verdadeiro da nossa essência e nos liberamos cada vês dos aprisionamentos das memórias ou das feridas da infância,   para viver segundo as orientações da nossa alma, do nosso coração, do EU Sou (EU-I).

Assim, conectados com a Fonte que tudo sabe, haveremos de atrair relacionamentos corretos e formas de viver onde a plenitude é possível.

Eu deixo minha Paz com Você!
Toda minha Paz!
Cida Medeiros
Hawai'i



Ho'oponopono Self I-Dentity


Esse final de semana aprendemos a Técnica Self I-Dentity through Ho’oponopono®, uma experiência profunda de aprendizado com uma classe com 306 alunos, pessoas vindas de todos os lugares do Brasil dispostos a aprofundar suas compreensões à respeito da tão difundida técnica de cura Kahuna, herdada e fundada pela Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa'au.

Mais confesso que a mudança de paradigma é tão profunda, com a limpeza das memórias, que é inevitável  a mudança de olhar para tudo que nos cerca. É bem interessante isso.

Foi um impulso interno muito forte que levou-me a assumir esse compromisso, num certo dia, no mês de maio, em uma Meditação, senti que deveria fazer a inscrição naquele dia, foi o que fiz, segui meu coração e inspiração.

Logo em seguida, percebi uma estranha conexão, parecia que eu recebia informações antecipadas de como fazer as limpezas, e fui fazendo diariamente, me conectei realmente ao Aumakua da Fundação do Eu-I, e passei a receber as orientações do Meu Eu Superior de como deveria proceder para fazer a Cura Kahuna, em cada situação que surgia, e assim passei a fazer diariamente as limpezas e as vezes, várias vezes ao dia.

Foi muito curioso isso que aconteceu. No primeiro dia de aula, a instrutora revelou que pegava o nome de todas as pessoas inscritas e fazia a limpeza em todos nós. Fiquei feliz em saber que a minha conexão estava de fato acontecendo, transmutando muitas memórias e liberando muitas coisas negativas que estavam me chegando.

Agora tenho aplicado com mais consciência e comprometimento a limpeza de memórias, pois aprofundamos  os recursos e os instrumentos de limpeza com a Classe que fizemos.

Na verdade, não tem nada de muito novo ou até de diferente, mais o fato de você estar fazendo parte de um Grande Eu Superior grupal, faz toda a diferença no final.  A gente sai de lá com uma sensação de que algo maravilhoso operou-se, e tudo, na maior simplicidade possível. Pois a técnica em si é bem simples.

É bem interessante essa experiência.

Para mim que tenho esse desafio cármico da mediunidade, onde todo o negativo acaba vindo em minha direção para ser transmutado, senti um forte alivio em receber mais instrumentos de cura. Pois é bem exaustivo essa tarefa da minha alma.

Porém, sinto que estou mudando minha frequência, cada vez mais, e isso é maravilhoso.

Agora, com mais esse instrumento de limpeza de memórias, tenho aprofundado as vivências terapêuticas de forma muito especial e os clientes ficam muito satisfeitos, o que me deixa feliz.

Desejo que a Paz esteja com você!

Cida Medeiros
Hawai'i






O Ser em ação.


Tudo que nos acontece é uma experiência que pode ser interpretada por nossos sentidos de diversas formas, mais quando conseguimos transcender as situações mais insuportáveis e inaceitáveis da nossa existência com tranqüilidade e equilíbrio, alcançamos um nível superior de consciência.

Essa consciência que nos habita e fonte de uma luz imaterial que nos conduz a plenitude do Ser.

Estar em Paz consigo mesmo é uma viagem para dentro de si.

Mesmo na relação com o outro, experimentamos as mais diversas emoções e sentimentos, mais a forma que olhamos para isso, faz toda a diferença no final.

Ninguém fora de nós pode, verdadeiramente, nos ofender em nada.

O mal passa o tempo todo dentro de nós, a nossa volta e como garfos tentam nos atingir.

Muitas vezes nos deixamos atingir, eis nossa fraqueza como seres humanos.

Por vezes, caímos nos abismos internos, nas profundezas e lá ficamos capturados, a mercês de sentimentos negativos e emoções destrutivas.

Como sair desse estado de coisas?

Pela compreensão cada vez mais crescente de que ninguém pode verdeiramente nos atingir.

Isso não e um convite a imprudência.

Mais uma vida mais interiorizada acaba por fazer com que mudanças acontecem em seu mundo exterior.

Dentro de nós, Jorra uma Fonte de Cura.

Você protege a vida e a vida lhe protege.

A vida retribui de alguma forma.

Dentro de nós habita a morada do Divino.

Os Mundos Superiores são alcançados a partir de uma superação interna.

Só pelo Ego, pela elaboração mental de uma experiência, isso não é possível.

A total transfiguração de experiências egoicas é possível através da escuta silenciosa do Ser em ação.

Dentro de nós o hábitat do Divino.

E a existência é uma jornada de mil caminhos, e todos eles nos levam à todos os lugares, alguns perigossissimos, outros nem tanto, porem desafios imensos nos chegam a todo o momento, mais dentro é morada de um tesouro sem fim, que descobrimos quando caminhamos por trilhas internas e superamos todos os obstáculos que nos chegam, dentro de nós o oásis.

Eis a tarefa do peregrino do Ser em ação.

Seguir o coração.

Cida Medeiros




Cooperação X Competitividade

Essa tema foi desenvolvido no Curso Introdutório de Mediação de Conflitos na UMAPAZ.

As diferenças entre jogos competitivos e cooperativos.

No jogo competitivo sempre haverá pessoas que sairão perdendo, enquanto que nos jogos cooperativos a maioria pode sentir-se contribuindo com algo coletivo e o nível de realização é maior e dividido entre todos os envolvidos. Não há ganhadores ou perdedores.

Na competitividade algumas pessoas sempre serão excluidas, analisadas e julgadas a partir de suas habilidades ou mesmo por falta das mesmas, enquanto que na visão cooperativa, todos podem envolver-se de acordo com suas habilidades.

Quando as pessoas competem entre sí, a desconfiança é algo que fica evidenciado entre todos os envolvidos, enquanto que na cooperação voce desenvolve valores que estimulam o compartilhar e a confiança.

Na competividade cria-se barreiras entre as pessoas, isolamento, aridez e na cooperatividade os individuos são estimulados a criar pontes, estabelecer vinculos e trocas de enriquecimento mutuo.

Os perdedores saem e desenvolvem sentimentos ruins de exclusão e alienação, observam de fora, cria-se animosidades e podem ficar contra. Enquanto que na cooperação todos os envolvidos ficam juntos e desenvolvem sua capacidade.

Na competitividade é evidenciado o individualismo e na cooperação o sentido de solidariedade é mais forte.

Na competiividade é reforçado o sentimento de depreciação, de menos valia, de rejeição, incapacidade e mesmo de dor e sofrimento. Enquanto que na cooperação é natural o desenvolvimento de habilidades, apoio mutuo, a auto-estima é elevada o que leva as pessoas envolvidas sentirem-se aceitas, amadas, uteis e seu potencial interior pode desabroxar e crescer.

O que podemos perceber que tudo isso com certeza leva resultados muito mais favoráveis tanto no sentido do alcance de objetivos em comum, como maior produtividade e inclusão.

Fonte: A apresentação de Sandra Inês Baraglio Granja - Dra pela Usp.no curso de mediação de conflitos pela UMAPAZ.
Baseado em Orlick (1978) e Brtto (1997), adaptado pela autora da Tese. Fonte: www.jogoscooperativos.com.br.
Modificações do Original: Cida Medeiros

O que são Valores para Paz?


É Essencial que os estudantes adquiram o entendimento e o sentimento vivo pelos valores. Eles devem adquirir um sentido vivo da beleza e do bem moral. De outra forma, eles com os seus conhecimentos especializados, mais se parecem com cachorros bem treinados do que um ser humano harmonioso. 
Albert Einstein

Os valores são a base da guiança interna de qualquer pessoa. Através dos valores podemos orientar nossa vida.

A maioria não possui muita clareza dos valores que estão por detrás de suas ações, mais elas existem, manifestam e criam um tipo de realidade. As decisões são baseadas naquilo que valorizamos.

O que torna o Ser Humano verdadeiramente humanizado é a consciência, a qualidade dos valores e a sua ação pratica.

Os Gregos definem os valores como sendo virtudes, qualidades potenciais que todo o ser humano deveria desenvolver para chegar a sua plena realização. O ideal dos Gregos é colocar em pratica os valores. Isto é, ter uma conduta onde a pratica de um valor internalizado, expressa-se naturalmente.

Todos nós temos como pano de fundo de nossas ações valores que se expressam em nossa conduta, por isso a importância dessa reflexão...o que você realmente valoriza em sua vida?

Os valores também são condicionados de forma inconsciente por um conjunto de valores sociais e culturais  assimilado por sua educação e que fazem parte de sua vida. Por isso, devemos fazer uma auto-reflexão para tomada de consciência sobre o que valorizamos na vida.

Pois é através dos valores que definimos nossas metas, as atitudes e o nível de desenvolvimento da consciência.

A Ética faz parte do que define um Ser Humano em sua conduta. Ethos quer dizer morada interior, o que quer dizer, que a ética faz parte da essência do Ser, a sua constituição fundamental.

É o que é Essencial ao bem estar na vida humana?

Se colocarmos os nossos valores pessoais atrelados a uma Holo-visão, indubitavelmente estaremos incluindo a Mãe Terra.

E se despertarmos  essa conduta interna, desde esse lugar dentro de nós, seremos suficientemente amorosos conosco mesmos, com todos que nos cercam, com todas as formas de vida e haveremos de tratar com amor a Terra que nos acolhe e alimenta.

E aprofundando essa escuta cuidadosa do que é essencial, poderemos despertar ações que manifestem a nossa qualidade acolhedora, nutritiva, amorosa, semeando ações e protegendo o crescimento de uma nova conduta humanitária, que será colhida no presente e em gerações futuras.

O valor como principio ético está acima da moral.

É preciso ter uma consciência ética bem desenvolvida para poder abrir mão de qualquer vantagem que possa colocar em risco a ação correta.

Quando desenvolvemos uma consciência ética bem definida sobre os valores humanos, e internalizamos de forma essencial, nossa conduta é guiada por uma ação correta.

Assim o individuo que consegue guiar-se por valores éticos universais vive em paz e realiza o verdadeiro sentido da vida humana.

O que acontece, para quem desconecta-se de seus valores essenciais é ter a desorientação interna e o caos como resultado em seu viver.

Os valores quando emergem dos alicerces essenciais do Ser humano, produzem condutas com grande força e poder. Manifestam uma atitude que pode influenciar de modo construtivo e produtivo, a politica, a economia, a ecologia, a forma como estruturamos e planejamos o futuro da sociedade, do meio ambiente e do planeta. Pois levamos em consideração a totalidade da experiencia humana, e com amor você não vai sentir-se feliz em ver alguém passando fome, ou necessidade, ou com frio, ou em dificuldades. Criará condições que elevem e conduzam a vida de todos para uma realização plena de seus potenciais.

Investira nas Ciências e nos conhecimentos disponíveis para gerar uma civilização melhor.

O que é lamentável de perceber que as pessoas que procuram guiar suas condutas dessa forma, são consideradas ingênuas ou fora da realidade.

Essa é uma reflexão fundamental, pois a cultura da paz, é um alfabeto novo, que todos nós precisamos abrir-se para conhecer e manifestar nessa nova possibilidade.

As vezes, a falta de auto-percepção impede a pessoa de perceber que sua conduta esta condicionada a valores sociais e culturais que demonstram uma necessidade de poder, de riqueza, de fama, do consumo exagerado, do desperdício, da competitividade e da valorização exagerada do conhecimento técnico e cientifico, que resulta numa postura desumanizadora e cruel. Tipo sou melhor que você...

E as necessidades humanas, como as de natureza espiritual de auto-conhecimento e de evolução ficam prejudicadas, pelo processo massificador e dominador das posturas competitivas e mercadológicas.

A humanização é a capacidade de devolver ao ser humano sua dignidade, que orientam a ação no sentido de aprimorar a conduta ética, o compromisso com a virtude e a expressão da natureza essencial do Ser.

Biografia de Consulta: Manual dos Valores Humanos - Raíssa Cavalcanti (org), Patricia Isabel Vidal, Viviane Furtado - Ed. AS

Cida Medeiros
Aprendiz da Cultura da Paz
Coordenadora e Focalizadora das Constelações Familiares no III Festival Mundial da Paz.
Terapeuta a Escuta do Ser.
Voluntaria e Ativista da Paz pela rede Unipaz.
Facilitadora das Constelações Sistêmicas e Xamã

O Sonho de Olaf com Maria Gabriele Wosien


Cada momento da existência humana é uma grata oportunidade que nós é dada, como uma possibilidade de entrega ao Divino, para que nossa personalidade possa desidentificar-se do mundo das ilusões e criar condições do "despertar" do sono da inconsciência, para que esse "Eu", torne-se mais consciente, mais inteiro, mais integro, mais congruente em sua Jornada de Auto-desenvolvimento, na estrada da evolução da consciência rumo ao Grande Despertar.

Tarefa desafiadora, nesse mundo, uma vez que nosso Ego foi educado a viver na Matrix, aprisionado pela Cultura da Mesmice, atropelada pelas exigências cotidianas, num mundo sem reflexão...sem pausa...sem silêncio, sem diálogo...do "Salve-se, quem puder"...

Os mais espertos vencem nesse mundo...mais a pergunta que cala...vence de que forma????

Eis a questão, cidadão planetário...

Toda construção sustentável e ecologicamente correta é demorada e exige muito o "cuidar", é o primeiro cuidar é o cuidar de dentro.

Aquele que acolhe a sua humanidade, não tem medo de encarar e nem de ver a verdade.

Quando nos sintonizamos com o "Ser" que nos habita, ele vai nos intuindo, vai nos amparando, vai abrindo caminhos, que nos são aparentemente ilógicos, mais que misteriosamente nos conduz ao encontro do que é essencial.

É o primeiro a sentar no divã somos nós mesmos.

Como um cuidador pode cuidar de amparar um outro ser humano, sem amparar a si mesmo?

É uma escuta sem fim.

Primeiro a Terapeuta escuta o outro, para então, finalmente escutar a si mesmo.

É o paradoxo dessa escuta mais refinada, mais profunda, mais conectada com a alma.

Dentro de nós, o paraíso, o inferno e o centro.

Mais é preciso  um voo muito mais elevado, para poder transcender os opostos e ir de encontro com o Ser Essencial.

Assim, "Caminhante do Céu", nessa Jornada sem fim, mergulho numa imersão profunda, nesse fim de semana, no espaço-retiro, em Rosa de Nazaré, deliciando-se da culinária deliciosa e natural do Chef Dino, desligo-me completamente de tudo, e na Jornada dançante da Alma, inspirada no "Sonho de Olaf Âsteson", uma balada norueguesa medieval, dirigida pela espetacular Maria-Gabriele Wosien, somos levados a uma vivencia ritualística, onde os vários versos dessa canção são construídos conjuntamente entre nós, com a coreografia das danças sagradas, dentro de um ritual xamânico, imersos em uma cosmologia medieval universal, que resgata a tradição sagrada do povo norueguês com a cultura cristã e conduz-nos a uma total transformação interior.

Sem palavras!

Cida Medeiros


O efeito de uma leitura. Neurociência


Um estudo revela algo importante sobre a influencia de uma leitura na ativação de determinadas áreas do cérebro. Uma informação importante, principalmente para comprovar o funcionamento das áreas cerebrais a partir de vários estímulos externos.

Cida Medeiros

"Os amantes da literatura não cansam de afirmar que um bom livro pode ser tão emocionante quanto um filme, ou mesmo quanto a vida real. E eles estão certos, segundo um estudo holandês.

De acordo com a pesquisa, a área do cérebro ativada quando uma pessoa lê e imagina
uma cena é a mesma que é ligada quando a imagem está em uma tela de cinema.

Os cientistas já sabiam que a mesma região cerebral era ativada quando sentimos uma emoção e quando vemos alguém sentindo a mesma emoção. Agora, em um artigo na revista científica "PLoS", a equipe da Universidade Groningen confirmou que o mesmo acontece quando lemos a respeito.

Para obter os resultados, o grupo contou com a ajuda de voluntários. Em um primeiro momento, eles tiveram seus cérebros monitorados enquanto viam cenas de três segundos de duração de um ator tomando uma bebida e fazendo cara feia por causa do gosto. Depois, o mesmo grupo teve que ler e imaginar cenas nada agradáveis: por exemplo, andar pela rua, trombar com um bêbado que vomita e depois perceber que o vômito caiu na própria boca do voluntário.

Em ambos os casos, a mesma área do cérebro entrou em ação, aquela que é ativada quando sentimos nojo e náuseas. Pessoas com algum problema nessa área são capazes de beber leite estragado como se fosse refrigerante.

É por isso que ver um filme ou ler um livro nos faz sentir como se estivéssemos experimentando aquilo em primeira pessoa. Para um dos autores do estudo, Christian Keysers, a notícia é excelente e deve servir de estímulo para que as pessoas leiam mais em um mundo dominado pela mídia visual."

Fonte: www.globo.com. br