Humildade


O Silêncio e um lugar dentro de nós.
Quando ultrapassamos os véus da ilusão...
Depois de ter vencido a morte do Ego.

Ultrapassado o medo da entrega.
Aceitado a vida como ela é.
Honrado a existência em tudo que é sagrado.

Encarado o paradoxo da existência humana.
Em seu bom e
Em seu ruim.

Reconsiderado as crenças...

as meias verdades...

os julgamentos,

enfim,

Despedaçados em nosso ignóbil presunção egoica, 
diante da vida...
diante do Incognoscível.

Reconhecemos a nossa ínfima insignificância humana. 

Emerge, então,

Um Novo Ser.

Um Novo Eu.

Mais integrado.

Mais humilde.

Mais consciente do nada sei.

Imersos nessa sabedoria,

Conectados


na escuta do Ser.

Onde nada somos.

nessa nulidade egoica.

Emerge uma poderosa força interior!

Que flui num novo eu.

E nesse degrau de entendimento,

surge o proposito,

Ser um veiculo.

A serviço do Todo.

À Serviço do Ser.

À Serviço da Vida.

E então, 

silenciamos mais uma vez...

para a próxima lição.

Cida Medeiros


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.