Despertar o Ser


Filon de Alexandria definem os "Terapeutas" como filosofos, "aquele que ama a sabedoria".

E não apenas a filosofia como um boa retória desprovida de um comportamento que a evidencie.

Todo o exercicio do Terapeuta em sintonia com a Tradição que Filon sugere, deve alinhar seu pensamento, ao sentimento, ao desejo e a ação em profunda conexão com seu Ser mais profundo.

"Não há corpo sem alma".

Por isso, cuidar do corpo, cuidar da mente é cuidar do Sopro que o anima.

Ao Terapeuta cabe a grandiosa função de despertar o Ser.

As doenças da alma, Filon cita:

- Apego ao prazer
- Desorientação do desejo
- Tristeza
- Fobias
- Invejas e cobiças
- Ignorância
- O não conforma-se ao que é.
- Não aceitar a realidade
- Viver no futuro.
- Viver no passado
- Julgar
- e tantas outras.

Reflexão de Filon de Alexandria:

"O desejo é a potência do exílio; rouba-nos o instante."

Para que o Ser que habita em você possa emergir e ter um lugar em sua consciencia, é preciso, pensar que a sua alma é animada por um Sopro, por uma inteligencia criadora, uma fonte que tudo prove e  sabe.

E preciso ter coragem de desedentificar-se.

De sair do papel de vitima.

De confiar no movimento que inspira e convida a atitude saudável.

E olhar para as dores e sofrimento com a intenção de acolhê-las e deixá-las passar.

E desapegar-se de tudo que o traz para baixo.

E saber que a saude depende de uma boa orientação.

A orientação que desperta a luz que reside em você.

Que confia na cura.

Você não é uma patologia andante...

Saia dessa ilusão.

Você é um fio de inteligencia que precisa ser resgatada e colocada em sintonia com o Sopro.

Que mova você para a luz.

Que desperta em você o sopro.

O Eu Sou!

Cida Medeiros
Apirante do CIT
(Colegio Internacional dos Terapeutas de Alexandria)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.