Rompendo com o Hábito de Morrer

Rompendo com o Hábito de Morrer - 1

Fonte:Leonard Orr, Libertando-se do Hábito de Morrer: A Ciência da Vida Eterna,
Tradução de Gilberto M. Carnasciali, Hipocampo, 2001


Iogues Imortais: Os Mestres Vivos

A maioria das pessoas já ouviu as palavras "iogue imortal" alguma vez em suas vidas. 
Muito poucas pessoas encontraram algum. Eu despendi tempo e esforço para descobrir se eles realmente existem. Foi a pesquisa mais fascinante de minha vida.

Ouvi falar de muitos e conheci oito deles até agora, tanto homens como mulheres. Estabeleci 300 anos como período mínimo de vida no mesmo corpo físico para a pessoa se qualificar para a minha pesquisa sobre esta classe distinta de pessoas. Três desses oito imortais mantêm um endereço conhecido no planeta Terra há mais de dois mil anos.


Conheci Ram e Sita um dia, na Holanda. Eles vão e vem ao seu bel prazer. Observei admirado este relacionamento que já dura 130.000 anos. Eles estavam totalmente integrados um ao outro! Há pelo menos alguns milhares de iogues imortais na Terra hoje. A maioria vive no Himalaia. Um grupo deles sempre aparece na famosa reunião de Kumbh Mela, na Índia.


O estereótipo do iogue imortal é o de um eremita celibatário morando numa caverna. Mas isto não ocorre sempre. Há iogues mulheres bem como iogues homens (a forma feminina costuma ser denominada de "ioguina") e ser um proprietário de casa com esposa e família já é uma trilha aceitável para a libertação total e a maestria. Shiva, Ram, Vasishtha e Babaji têm esposas e crianças, por exemplo.



Os iogues que estão completamente dedicados à maestria melhoram sua capacidade de aprendizado e acumulam poderes maiores a cada século. Eles revelam que a prática da Presença de Deus na verdade, simplicidade e amor, é uma exigência eterna para a saúde perpétua e o estado de animação pessoal. Mas a hipocrisia e a inconsciência podem se instalar a qualquer momento produzindo a degradação e a morte.


Pelo que observei, a vida eterna é aprazível. Todos os imortais que conheci estão se divertindo muito. A ciência da vida eterna no corpo físico é a ciência de gozar a vida. 

Vida abundante é o segredo da vida eterna.

O estado de animação pessoal é a fonte da alegria eterna.

Uma das coisas que me admirou quando conheci esta gente sábia, simples e ilustre é que a maioria das outras pessoas que vive na vizinhança têm pouco ou nenhum interesse em se tornar imortal. Isto é ainda uma grande fonte de surpresa para mim. 

Será um problema de auto-estima? Materialismo grosseiro? Escuridão espiritual da alma humana? Falta de imaginação? Obviamente que é, ao menos, um pensamento limitado, mas por que será que as pessoas são tão limitadas na sua estimativa do potencial humano e em suas idéias sobre seu próprio potencial?


Ioga parece ser a única abordagem humana da vida que tem produzido seres humanos imortais. Há evidências de que Moisés, Elias e Jesus, todos estudaram com imortais na Índia. Na minha segunda viagem à Índia encontrei o iogue imortal Babaji, de Herakhan, um vilarejo no Himalaia, do outro lado do rio onde se situa o Monte Kailash, perto de Haldwani, no Estado de Uttar Pradesh. Babaji é realmente de uma Juventude Eterna. Na Bíblia ele é chamado de Anjo do Senhor. Ele é Deus o Pai, na forma humana. Mais adiante neste livro dedico um capítulo inteiro a este ser maravilhoso. Jesus Cristo é o "imortal" mais conhecido do Ocidente. Outros santos viveram vidas similares à de Jesus. Derrotaram a morte e evoluíram a ponto de poder desmaterializar seus corpos. Passaram para o outro mundo sem morrer (sem deixar um cadáver para ser enterrado).


Há uma maneira de se sair vivo deste Universo. Muitos ocidentais conquistaram este poder. Analee Skarin, dos Estados Unidos, fê-lo na década de 1960. Saint Germain, da França, é o mais famoso. Os santos são a fonte das religiões, como Jesus é para a fé cristã. Mas nós aqui do Ocidente estamos muito empobrecidos espiritualmente, a ponto de nos limitarmos ao conhecimento apenas dos santos bíblicos.Eu costumava acreditar que Jesus fosse o único, mas quando estudei melhor os fatos, fui forçado a mudar minha posição. A partir do momento em que conheci Babaji, tomei consciência de que ele havia se tornado um imortal muito antes de Jesus e que, inclusive, fora mestre e guia de Jesus.


A Bíblia nos apresenta cinco imortais: Enoque, Melquizedeque, Moisés, Elias e Jesus. A Bíblia menciona especificamente que os três últimos jejuaram sem alimentos ou água durante quarenta dias e quarenta noites seguidas. A Bíblia também nos conta que todos esses cinco homens que conquistaram a morte tinham um sério interesse em Deus. Eles são heróis da Bíblia porque derrotaram a morte física.


Elias foi o mestre do fogo, na Bíblia, como revelado no Monte Carmelo. Ele ascendeu ao céu sem passar pela morte. Ascender numa biga em chamas é simbólico de seu estilo de vida. Quando retornou 700 anos mais tarde como João Batista, graduou-se em purificação pela água. Após sua morte como João, esteve presente com Moisés na cena da transfiguração de Jesus.Elias foi o mestre do fogo, mas lhe faltou amor e bondade durante seu momento de glória e, então, ele assassinou 800 homens, mulheres e crianças dos "falsos deuses" - das outras religiões.


Quando reencarnou como João Batista, séculos mais tarde, foi decapitado pelo inimigo para pagar por este pecado.


As vidas desses imortais eram devotadas a Deus e baseadas na purificação espiritual que aprenderam do imortal Babaji. Mas a Bíblia não nos conta as regras para alcançar a vida eterna, nem como dominar a mente e o corpo. Na verdade, conquanto a Bíblia mantenha a vida eterna como o objetivo da religião Hebráica e da vida cristã, ela não nos dá uma idéia clara de como conquistá-la. Não surgiram cristão imortais nos últimos 2.000 anos da história recente da igreja. A igreja cristã produziu o menor número de imortais provavelmente porque ela é orientada para a doutrina, em vez de orientada para a vida. A doutrina cujo objetivo de vida é ir para o céu, paralisa toda e qualquer pesquisa. Tal doutrina superficial não substitui o verdadeiro poder supremo da prática da verdade, simplicidade e amor. 

A ciência e a filosofia ocidentais simplesmente não podem competir com o iogue imortal. Há indícios de que os antigos imortais da Bíblia seguiam práticas de purificação espiritual similares às que os iogues imortais fazem hoje para se libertarem da ameaça comum da morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.