Paz segundo Lama Padma Samten

A paz na vida cotidiana pode ser examinada em vários níveis. Num sentido absoluto, a paz é iluminação, liberação completa. Enquanto não se obtém essa condição, a paz não é possível.

Podemos trabalhar pela paz, avançar na sua direção, mas, enquanto não atingimos a liberação, estamos presos à experiência cíclica - e, por definição, perdemos a paz. Entretanto, mesmo dentro da experiência cíclica podemos ter momentos de paz. Existem ensinamentos que nos auxiliam a aumentar a paz e reduzir a ansiedade.

A primeira coisa que podemos analisar em relação à paz é que se trata de nossa experiência natural, uma condição não-construída. Não podemos conquistar a paz, pois ela é nossa experiência básica.

Podemos perdê-la se surgirem perturbações, mas ganhá-la não tem sentido. Se pensarmos que a paz surgirá por uma boa razão ou sob condições externas, nunca a encontraremos. Uma vez perdida, a paz só retornará se removermos as perturbações que surgiram.

A paz não surge de um processo lógico sob condições; se a nossa paz estiver baseada em argumentos lógicos, não será verdadeira, mas uma condição construída e frágil. Por outro lado, todas as experiências de aflição são construídas e surgem sob condições específicas que podemos localizar analiticamente. A análise de nossa situação permitirá descobrir as condições sob as quais perdemos a paz, mas o processo para recuperá-la consiste apenas na remoção de obstáculos - não iremos agregar coisas, mas remover as artificialidades que impedem a experiência original.
Lama Padma Samten

Feliz 2012


Algumas reflexões sobre o Amor.


A indiferença é o amor ferido.

É uma porta que se encontra fechada e ninguém quer abri-la com medo de ferir-se novamente.

Muitas pessoas estão unidas, apesar da distância de muitos quilômetros e muitas estão separadas, estando lado a lado, convivendo juntas no mesmo lugar.

Muitas vezes nos importamos com o que acontece no mundo, nos sensibilizamos e pensamos até em fazer alguma coisa, mas nos esquecemos do que se passa ao nosso lado, com nossos amigos, na nossa casa, na nossa família e na vizinhança.

Oração do Pai Nosso

oradia6.bmp (90774 bytes)


Pater noster, qui es in cælis,
sanctificetur nomen tuum.
Adveniat regnum tuum.
Fiat voluntas tua,
sicut in cælo et in terra.

R] Panem nostrum quotidianum da nobis hodie.
Et dimitte nobis debita nostra
sicut et nos dimittimus debitoribus nostris
Et ne nos inducas in tentationem:
sed libera nos a malo.
Amen.Pai nosso, que estás no céu
santificado seja o teu nome.
Venha a nós o vosso reino,
Seja feita a vossa vontade,
assim na terra como no céu:

R.] O pão nosso de cada dia nos dai hoje.
E perdoai as nossas ofensas
como perdoamos àqueles que no têm ofendido.
E não nos deixai cair em tentação,
mas livrai-nos do mal.
Amen.

Menino Amor



Estive fora por alguns dias.

Longe da minha morada interna.

Vivendo com pessoas.

Humanas como eu.

Nenhuma diferença.

Iguais.

Essencialmente Iguais.

Com sonhos, desejos, inspirações e tudo o que existe na humanidade

Algumas um pouco mais adoecidas.

Outras nem tanto.

Vivendo seus mundos.

Vivendo a vida.

A sua maneira.

A sua moda.

Em seus costumes.

Com seus hábitos.

Algumas, emocionalmente frágeis.

Com muitas questões.

Incertezas.

e

Muitos sofrimentos.

Outras com Medos
Angustias
e sentindo Solidão.

Vivendo a dor do não vivido

A dor da separação.

Com o olhar distorcido.

Dizendo não a realidade.

Sofrendo, 

A pior dor...

a separação da Luz.

Distantes do amor.

O menino Amor chegou e ninguém viu.

Foram poucos que viram ele chegar.

Lamento muito.

O menino amor veio, e ninguém estava preparado para 
recebê-lo.

Ele ficou do lado de fora.

Com sorriso amarelo.

Esperando alguém vir lhe atender.

Convidar a entrar.

Mais

Ninguém 

viu,

nem 

ouviu.

E ele foi embora.

Que pena.

O menino amor estava ai...

Você viu?

Você deixou ele entrar em seu coração?

Ainda a tempo.

Abra sua casa interior.

Chame por ele.

Ele vai ouvir.

É uma criança pura.

Não tem maldade.

É puro amor.

Não guarda mágoas.

É uma criança pura.

Se você chamar ele vem.

Entra e aquece seu coração.

Ampara sua alma.

Nutre.

Revigora.

Chame o menino Amor.

Ele vai amar estar com você.

Vai ajudar você esquecer as dores humanas.

As diferenças.

Ele vai amar você.

E através de você.

No seu lar interior.

Repleto de harmonia.

Onde a paz pode habitar.

Ele traz em sua mão direita 

a água da fonte.

Tome um cálice de água pura

 e sua luz transbordará.

Fique bem.

Assim,

como você é.

seu jeito único de ser.

Aceitando a vida como ela é.

Assim é.

E está tudo certo.

Obs: Essa mensagem é de minha autoria, mais a palavra "menino amor", foi inspirado numa mensagem que Roberto Crema mandou para todos os Terapeutas do CIT (Colégio Internacional de Terapeutas) onde ele manda uma mensagem citando "o menino amor" e eu achei lindo. Roberto é essa pessoa linda e poética. Com Dulce Magalhães aprendi muitas coisas e principalmente a ver a vida e reconhecer que está tudo certo. Com Carminha Levy aprendi a impecabilidade do Guerreiro e aceitar a vida com dignidade e amor. Com Bert Hellinger aprendi a arte do não julgamento. E assim, com todos os mestres que a vida me trouxe eu aprendi algo. Com meus amigos Servidores da Luz aprendi a praticar e viver o amor de forma única e incondicional. 
Com minha familiar aprendi valores.
 E hoje conversando com uma amiga muito querida ele dividiu seus sonhos comigo e essa imagem que acompanha essa mensagem tem haver com isso, somando tudo, o que vivi na família, com amigos, clientes, vizinhos e outros,  brotou então essa mensagem, espero que esteja em ressonância com você! 
Forte abraço!
Feliz Natal
Cida Medeiros

O Amor


"...O amor só é possível se duas pessoas se comunicam mutuamente a partir do centro de suas existências e, portanto, se cada uma se experimenta a partir do centro de sua própria existência. Só nessa "experiência central" existe realidade humana, só aí há vivacidade, só aí está a base do amor. Assim, experimentado o amor é um desafio constante; não é um lugar de repouso, mas é mover-se, crescer, trabalhar juntamente; haja harmonia ou conflito, alegria ou tristeza, isso é secundário em relação ao fato fundamental de que duas pessoas se experimentam mutuamente a partir da essência de sua existência, que são uma como a outra por serem uma consigo mesmas, em vez de fugir de si mesmas. Só há uma prova da presença do amor: a profundidade da relação e a vivacidade e o vigor em cada pessoa envolvida; êste é o fruto pelo qual o amor é reconhecido..."
(Erich Fromm. A Arte de Amar)

Existência Feliz



"A Existência certamente se alegra quando você está feliz. A existência é quase um eco do seu ser. Se você está na ansiedade, tudo ao seu redor se torna tensa, e se você está em silêncio, tudo ao seu redor se torna uma música silenciosa, uma dança silenciosa. Lembre-se que você não está separado da existência, por isso quando você está feliz, todas essas árvores também estão felizes. A felicidade é contagiante. "

OSHO

Preocupação

"Uma pessoa preocupada, invade o mundo do outro com seus pensamentos."

Então, o ensinamento aqui é, ao invés de preocupar-se com o outro, irradie luz ao outro. Nada podemos fazer de fato para evitar aquilo que está escrito nas estrelas. Não podemos controlar o mundo, as pessoas e muito menos as circunstâncias, viver de forma desesperada, sofrendo pelo outro é puro desperdício de tempo.

Ressonânci​a mórfica

Ressonância​ mórfica: a teoria do centésimo macaco

Na biologia, surge uma nova hipótese que promete revolucionar toda a ciência.

José Tadeu Arantes

Era uma vez duas ilhas tropicais, habitadas pela mesma espécie de macaco, mas sem qualquer contato perceptível entre si. Depois de várias tentativas e erros, um esperto símio da ilha "A" descobre uma maneira engenhosa de quebrar cocos, que lhe permite aproveitar melhor a água e a polpa. Ninguém jamais havia quebrado cocos dessa forma. Por imitação, o procedimento rapidamente se difunde entre os seus companheiros e logo uma população crítica de 99 macacos domina a nova metodologia. Quando o centésimo símio da ilha "A" aprende a técnica recém-descoberta, os macacos da ilha "B" começam espontaneamente a quebrar cocos da mesma maneira.

Não houve nenhuma comunicação convencional entre as duas populações: o conhecimento simplesmente se incorporou aos hábitos da espécie. Este é uma história fictícia, não um relato verdadeiro. Numa versão alternativa, em vez de quebrarem cocos, os macacos aprendem a lavar raízes antes de comê-las. De um modo ou de outro, porém, ela ilustra uma das mais ousadas e instigantes idéias científicas da atualidade: a hipótese dos "campos mórficos", proposta pelo biólogo inglês Rupert Sheldrake. Segundo o cientista, os campos mórficos são estruturas que se estendem no espaço-tempo e moldam a forma e o comportamento de todos os sistemas do mundo material.

Átomos, moléculas, cristais, organelas, células, tecidos, órgãos, organismos, sociedades, ecossistemas, sistemas planetários, sistemas solares, galáxias: cada uma dessas entidades estaria associada a um campo mórfico específico. São eles que fazem com que um sistema seja um sistema, isto é, uma totalidade articulada e não um mero ajuntamento de partes.

Sua atuação é semelhante à dos campos magnéticos, da física. Quando colocamos uma folha de papel sobre um ímã e espalhamos pó de ferro em cima dela, os grânulos metálicos distribuem-se ao longo de linhas geometricamente precisas. Isso acontece porque o campo magnético do ímã afeta toda a região à sua volta. Não podemos percebê-lo diretamente, mas somos capazes de detectar sua presença por meio do efeito que ele produz, direcionando as partículas de ferro. De modo parecido, os campos mórficos distribuem-se imperceptivelmente pelo espaço-tempo, conectando todos os sistemas individuais que a eles estão associados.

A analogia termina aqui, porém. Porque, ao contrário dos campos físicos, os campos mórficos de Sheldrake não envolvem transmissão de energia. Por isso, sua intensidade não decai com o quadrado da distância, como ocorre, por exemplo, com os campos gravitacional e eletromagnético. O que se transmite através deles é pura informação. É isso que nos mostra o exemplo dos macacos. Nele, o conhecimento adquirido por um conjunto de indivíduos agrega-se ao patrimônio coletivo, provocando um acréscimo de consciência que passa a ser compartilhado por toda a espécie.

Até os cristais

Em dias de Angústia


O que fazer quando o coração está apertado?

Parece que vai sair pela goela?

O melhor caminho é sentar e render-se.

Render-se a esse pedido silencioso que quer lhe dizer algo.

Angústia, aquela dor no peito, misturado com sensações estranhas é seguida ou não de mal estar é quando a Sabedoria do Corpo está querendo comunicar algo.

Comunicar afim de alertar.

A fim de despertar.

Para que a Consciência tenha passagem na percepção e visão do que ocorre a sua volta ou dentro de você.

Cida Medeiros

O Cego e a Lanterna


O Cego e a Laterna

Quando saía da casa de um amigo tarde da noite,
um homem cego recebeu deste uma lanterna. O cego disse, surpreso:
"Sou cego. De que me vale levar uma lanterna?"
"Sei disso, mas como vais caminhar no escuro,
a lanterna evitará que outras pessoas esbarrem em vós,
" disse o solícito amigo, acendendo a vela dentro da lanterna.

O homem partiu levantando a lanterna à sua frente.
Confiante no fato de que ela evitaria acidentes com outras pessoas,
ele caminhou sem medo ou relutância ao longo da estrada.
Nunca ele se sentiu tão confiante, sabendo que a lanterna
era um eficiente aviso de sua presença no caminho.

Entretanto, para sua completa surpresa,
de repente alguém esbarra fortemente nele, que cai ao chão.
Irritado com isso, o cego grita:
"Não podeis ver uma lanterna aproximando-se?!
Com certeza és mais cego do que eu!!!!"

Mas o outro homem disse, confuso:
"Mas como eu poderia ter visto uma lanterna apagada nesta noite escura?!"
Todo aquele tempo o cego carregava a lanterna inutilmente,
pois o vento tinha apagado a vela há muito...

"Ninguém, depois de acender uma candeia, a põe em lugar oculto,
nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz.
A candeia do corpo são os olhos. Quando, pois, os teus olhos forem bons,
todo o teu corpo será luminoso; mas,
quando forem maus, o teu corpo será tenebroso.

Vê, então, que a luz que há em ti não sejam trevas.
Se, pois, todo o teu corpo estiver iluminado,
sem ter parte alguma em trevas, será inteiramente luminoso,
como quando a candeia te alumia com o seu resplendor"
(Lucas 11:33-36)

A Águia




A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie.

Chega a viver cerca de 70 anos. 

Porém, para chegar a essa idade, aos 40 anos, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão. Aos 40 anos, suas unhas estão compridas e flexíveis e já não conseguem mais agarrar as presas, das quais se alimenta.

O bico, alongado e pontiagudo, se curva. Apontando contra o peito, estão as asas,envelhecidas e pesadas, em função da grossura das penas, e, voar, aos 40 anos, já é bem difícil!

Nessa situação a águia só tem duas alternativas: deixar-se morrer... ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias. 

Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e lá recolher-se, em um ninho que esteja próximo a um paredão.

Um lugar de onde, para retornar, ela necessite dar um voo firme e pleno. 

Ao encontrar esse lugar, a águia começa a bater o bico contra a parede até conseguir arrancá-lo, enfrentando, corajosamente, a dor que essa atitude acarreta. 

Espera nascer um novo bico, com o qual irá arrancar as suas velhas unhas.

Com as novas unhas ela passa a arrancar as velhas penas.

E só após cinco meses, "renascida", sai para o famoso voo de renovação, para viver, então, por mais 30 anos.

Muitas vezes, em nossas vidas, temos que nos resguardar, por algum tempo, e começar um processo de renovação. Devemos nos desprender das (más) lembranças, (maus) costumes, e, outras situações que nos causam dissabores, para que continuemos a voar. Um voo de vitória. Somente quando livres do peso do passado (pesado), poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz. Destrua, pois, o bico do ressentimento, arranque as unhas do medo, retire as penas das suas asas dos maus pensamentos e alce um lindo vôo para uma nova vida. 


Um vôo de vida nova e feliz.


Ouse subir a montanha...

Sabedoria



Conta-se que num país longínquo, há muitos séculos,
um rei se sentiu intrigado com algumas questões.
Desejando ter respostas para elas, resolveu estabelecer
um concurso do qual todas as pessoas do reino poderiam participar.

O prêmio seria uma enorme quantia em ouro,
pedras preciosas, além de títulos de nobreza.
Seria premiado com tudo isto quem conseguisse
responder a três questões: qual é o lugar mais importante do mundo?

Qual é a tarefa mais importante do mundo?
Quem é o homem mais importante do mundo?
Sábios e ignorantes, ricos e pobres, crianças,
jovens e adultos se apresentaram, tentando responder as três perguntas.

Sobre o Sucesso


O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. "

Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes.

Pensamentos de Leonard Orr sobre a Morte



Nossa civilização materialista tem a tendência de solidificar a pulsão de morte. Mas os imortalistas rejeitam a idéia de que a morte é inevitável dizendo alternativamente que a morte é controlada pela consciência individual.

A adição das palavras "imortalidade física" ao vocabulário de todos é um objetivo educacional valioso. Perceber que nossa mente é a maior ameaça à saúde e ao estado de animação do nosso corpo físico, é um pensamento que todos merecemos ter. A maioria rendeu-se à idéia de que a morte é inevitável e além do nosso controle.

Pensamentos de Leonard Orr - 4


Leonardo da Vinci


Leonardo da Vinci

A história de como um homem bastardo, canhoto, vegetariano, homossexual e libertador de passarinhos tornou-se o maior gênio ocidental de todos os tempos





Homem Vitruviano    
Leonardo fez o famoso desenho baseado nas proporções       matemáticas do arquiteto romano Marco Vitruvio Polião

Por: Renato Modernell
Virgem dos Rochedos, no detalhe do quadro, o mestre mostra que inovou na arte e na ciência

Em meio a tudo o que já se disse sobre Leonardo da Vinci, ao longo de 500 anos, a frase de Freud brilha como uma pérola: "Ele foi como um homem que acordou cedo demais na escuridão, enquanto os outros continuavam a dormir".

É admirável que Leonardo tenha conseguido suportar a sua solidão. "Será que ninguém jamais ouvirá a minha voz, e que sempre estarei só, como neste momento, nas trevas debaixo da terra, como se tivesse sido sepultado vivo, junto com meu sonho de asas?" Esse desabafo é de quando ele se refugiou numa adega, com seus livros, manuscritos e instrumentos científicos. Lá fora, as tropas francesas de Luís XII devastavam Milão a canhonaços.

Nessa época turbulenta e fértil - a transição renascentista entre os séculos 15 e 16 - saltava aos olhos a diferença entre Leonardo e os mortais comuns. E não apenas pelo tanto que ele conseguiu avançar em seus múltiplos campos de interesse. Seus hábitos pessoais e sua trajetória de vida também destoavam do figurino vigente.
Só para complicar um pouco, vamos começar dizendo que Leonardo talvez nem fosse da Vinci.

Avesso aos prazeres da carne (em todos os sentidos), Leonardo preferia a solidão criativa às paixões mundanas

Ele é desses que nasceram em diferentes lugares, como Carlos Gardel, Jesus Cristo e outros personagens à la carte: cada biógrafo (eles existem às pencas) escolhe a sua versão. Vinci, no alto de uma colina, a oeste de Florença, é a possibilidade mais forte. Esse povoado toscano de 1 500 habitantes presta homenagem ao mestre no Museu Leonardiano, com maquetes em madeira (carro, bicicleta, tanque de guerra, metralhadora etc.) feitas a partir de suas anotações. Porém, o pessoal da região considera a dita "casa de Leonardo" uma impostura para atrair turistas. Ele também pode ter nascido em outra cidadezinha próxima, Anchiano, e ter sido levado para Vinci na primeira infância.


Medicina       aplicada
No esboço a carvão de A Virgem e o Menino com Santa Ana e São João Batista, feito por volta de 1500, deixa claro que seus estudos de anatomia não foram em vão

Sete Princípios Egipcios


Há pelo menos sete princípios fundamentais que sustentaram e inspirou toda a filosofia e a espiritualidade mística do Faraó e seu reino.
1. Há apenas um fim Universal
Todo e qualquer ser senciente, ou a situação em seu tempo, é obrigado a realizar uma missão específica na terra.
2. Há Uma Unidade Cósmica
Este princípio é baseado no conceito de que tudo o que existe é uma manifestação particular da essência One. Como acima, assim abaixo. O que é questionável é um reflexo daquilo que não é.
3. Há apenas uma medida
Uma medida, uma porção, uma ração era considerada a base de onde todos os seres, coisas e tempo constituem meras figuras exponenciais. Eles só são múltiplos e submúltiplos na mesma dose.
4. Há Uma Lei Cósmica, que precede todas as leis espirituais:
Esta Lei Uma determina que há uma ordem universal e uma unidade cósmica que se manifesta através da medida One. Acreditamos firmemente que os egípcios transportados e abraçou o principal dirigente da Lei Lemuriano do Uno.
 5. Há apenas Intelligence One
Há Uma mente inteligente que engloba e abraça tudo o que existe. Todas as outras inteligências são meros reflexos e manifestações individualizadas da Mente Uma inteligente.
6. Há apenas um caminho
Este é o caminho da obediência à Lei Uma que reina a Ordem Universal e que precede todos os outros. A Lei determina Uma Unidade de todas as partes com a sua Essência.
7. Há somente uma realidade
A compreensão da existência de uma realidade reitera que o Universo se manifesta através da repetição da mesma essência através de estágios diferentes de expressões consciente. Existem os aspectos infinito de manifestação que tornam a criação de possíveis e inteligíveis, ao longo das parcelas de tempo diferentes.
Dentro de todos estes princípios, nós percebemos um alcance de profundidade filosófica. Cada princípio reflete uma compreensão de Causa e Efeito, uma manifestação de fatos e eventos. A civilização egípcia antiga era fascinado pelo estudo dos mistérios da Vida e da Morte. Eles acreditavam que a morte era um portal para uma vida nova e real, como a semente precisa "morrer", a fim de trazer à vida uma

Metamorfose Ambulante


Prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Eu quero dizer
Agora, o oposto do que eu disse antes
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Sobre o que é o amor
Sobre o que eu nem sei quem sou
Se hoje eu sou estrela
Amanhã já se apagou
Se hoje eu te odeio
Amanhã lhe tenho amor
Lhe tenho amor
Lhe tenho horror
Lhe faço amor
Eu sou um ator
É chato chegar
A um objetivo num instante
Eu quero viver
Nessa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Sobre o que é o amor
Sobre o que eu nem sei quem sou
Se hoje eu sou estrela
Amanhã já se apagou
Se hoje eu te odeio
Amanhã lhe tenho amor
Lhe tenho amor
Lhe tenho horror
Lhe faço amor
Eu sou um ator
Eu vou lhe desdizer
Aquilo tudo que eu lhe disse antes
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo

A Fonte


Eu conheço bem a fonte
Que desce aquele monte
Ainda que seja de noite
Nessa fonte está escondida
O segredo dessa vida
Ainda que seja de noite
"Êta" fonte mais estranha,
que desce pela montanha
Ainda que seja de noite.
Sei que não podia ser mais bela
Que os céus e a terra, bebem dela
Ainda que seja de noite
Sei que são caudalosas as correntes
Que regam os céus, infernos
Regam gentes
Ainda que seja de noite
Aqui se está chamando as criaturas
Que desta água se fartam mesmo
às escuras
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite...
Eu conheço bem a fonte
Que desce daquele monte
Ainda que seja de noite
Porque ainda é de noite!
No dia claro dessa noite!
Porque ainda é de noite

(Desconheço o autor)

Mulher




ESSA MULHER QUE EU AMO

Jorge Linhaça

 Essa mulher que amo é  um arco-íris

traz em si as cores do mais puro amor

surge depois da chuva fecundante da terra

embeleza o céu que nos acolhe, silente

é simbolo do concerto com a deidade

é promessa de mil tesouros ocultos

é refração da luz nas gotas da paixão

é coxilha que me acolhe nos braços

é a prenda que me recebe no regaço

é ninfa a emergir das águas  do amor.