Resgate da Alma

No Universo Xamânico, entendemos que sempre que a pessoa passa por um trauma, físico e emocional parte de sua alma deixa o corpo.

Entende-se como "Alma", uma parte da nossa essência, parte da força vital que nos anima.

Como fazer para recuperar essa parte de nossa alma?

O que sentimos é que algo dentro de nós morreu, uma parte de nós não vive mais.

Isso, que está atrelado a esse sentimento é a nossa alma que ficou doente.

No xamanismo é uma prática comum fazer um viagem ao som do tambor, viajar entre mundos e buscar a parte da alma que ficou preso em algum evento traumático do passado.

Chamamos isso de resgate da Alma, técnica que aprendi com Maria Luiza Resende e Carminha Levy na Paz Géia.

Isso porque, quando a pessoa passa por um trauma, um choque, um acidente ou algo semelhante, uma parte da pessoa fica aprisionada no evento. É algo muito esquisito de pensar para uma pessoa comum, sem muito conhecimento nessa área, mas isso acontece freqüentemente.



São dimensões que o Xamã tem muito conhecimento. Muitas vezes não basta apenas um olhar comum, as vezes é necessário lidar com a parte espiritual do que aconteceu com você. É um Xamã, normalmente tem muito preparo para lidar com as realidades paralelas e com tudo que habita nelas.

Você pode sentir como se algo estivesse faltando. É comum ouvir a seguinte queixa:

- Depois de tal evento, nunca mais fui o mesmo(a), parece que uma parte de mim morreu!

Você já se sentiu assim? Uma parte de você morreu no sentido simbólico, porque de fato por não estar integrado mais, não está funcional. É necessário um trabalho para curar a parte ferida.

Mas o que fazer quando não se pode ir a uma consulta e nem pagar os honorários de um Terapeuta Xamã? (Mais se puder, procure! Vai lhe fazer muito bem.)

Podemos evocar as forças sagradas para fazer a auto-cura.

Despertar o Terapeuta Interno.

Quando coisas ruins nos acontece, sentimos como se uma parte de nós tivesse
morrido, não nos sentimos tão bem, temos a impressão que nós falta algo.

Todo evento traumático aprisiona uma parte de nossa energia.

Outro exemplo:

Em uma situação em que fomos agredidos, ignorados, desprezados ou negados, uma parte que queria ter sido ouvida, considerada, apreciada e reconhecida pode morrer, fica sem força.

E isso, caro leitor é um mecanismo inconsciente, nem sempre temos a percepção clara de tudo que nós ocorre.

Então, você pode se sentir sem força, sem energia, sem luz.

Você pode se dar conta, percebendo em si, que seu amor próprio está muito baixo, sua disposição já não é mais a mesma, seu "espirito" de ir a luta vai esmorecendo, você vai perdendo a sua energia vital e sua auto-estima fica muito baixa.

Se você sente que foi abandonado, real ou apenas a sensação, a parte que necessitava de amor e do afeto e que não esta mais recebendo isso, quer voltar e ser cuidada e amada, e então, fica vazia, carente, sem luz, sem brilho e sem vida.

Então, a semelhança de um buraco negro, começa a roubar energia. Alimenta alguma coisa dentro que se instala pela ausência da luz.

O primeiro passo, para iniciar o processo de cura, está em tomar consciência do que ocorreu e o que ocorre.

Então, assumir o que sente.

- Imaginar-se na situação e reconhecer que num dado momento você entregou todo seu poder para alguém que considerou melhor ou maior que você, ou mesmo, num caso de perda afetiva, alguém que você amava e que a simples presença já lhe nutria emocionalmente e que você infelizmente não tem mais ao seu lado.

Reconhecer isso. E então:

Evoque o poder curativo da sua Alma, do seu Eu Superior, da Presença ou do Divino que habita em seu Ser. Faça a conexão, evoque a consciência para iluminar e clarear tudo dentro de você.

Você pode utilizar-se de uma prática muito conhecida pelos Kahunas, chamada de Hoo'ponopono que é simplesmente olhar para essa parte de você mesma que se encontra enferma e dizer:

- Eu te amo, Eu sinto muito, Por favor me Perdoe, Obrigada.

Isso traz do seu Eu Divino a força de cura.

Se for preciso e sentir necessidade, coloque um imagem que represente isso, e
veja recuperando a parte de você, na cena, no local, no evento e traga de volta, coloque em seu coração, e diga a si mesmo:

- Eu me amo, eu me reconheço, eu sou luz! Eu aciono as forças curativas e resgato a força da vida mim e me conecto com o meu Ser, em sua totalidade. Eu estou viva! Eu me sinto inteira. Agora estou em paz. Eu recupero meu poder. Estou alinhada com meu eu divino. Esta tudo bem. Eu me amo.

E por fim, depois de resgatar a parte da alma que estava aprisionada no passado, entenda a partir disso, que o que restou foi apenas uma memória, tente des-pontencializar, jogando a imagem que você tem na mente; no fogo sagrado do Espírito Santo.

É uma maneira de enfrentar uma situação e recuperar a saúde emocional, mental e espiritual.

Não adianta muito ficar na queixa infantil de algo que não deu certo, devemos nós esforçar ao máximo, buscar os recursos que necessitamos e agir a favor de nossa cura pessoal.

Lamente o que aconteceu, faz parte, mais não fique muito na lamentação, parta para ação o quanto antes, para curar a si mesmo e permitir-se um nova vida.

Isso é um ato de amor próprio. E as energias se movimentam e a inteligência Divina, aciona o que for necessário para que você encontre o que necessite.

Se for difícil fazer sozinho, procure ajuda. Isso também é uma ato de amor próprio e de humildade, reconhecer nossos limites é sábio e não deixa de ser uma virtude, tenho certeza que seu Eu Divino irá ajudá-lo e encontrar a pessoa certa.

Confie, persevere, você é uma obra perfeita do Divino. Recupere-a.

Cida Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.