Vácuo Quântico


Confirmado: a matéria é resultado de flutuações do vácuo quântico
Redação do Site Inovação Tecnológica
25/11/2008

A teoria de que a matéria não tem fundações tão firmes quanto sugerem termos como "concreto" e "sólido" não é tão nova. Mas esta é a primeira vez que os cientistas conseguiram demonstrar que a matéria se origina de meras flutuações do vácuo quântico.

Modelo Padrão da Física

Uma equipe internacional de físicos demonstrou de forma conclusiva que o Modelo Padrão da física das partículas - a teoria que descreve as interações fundamentais das partículas elementares para formar toda a matéria visível no universo - explica com precisão a massa dos prótons e dos nêutrons.

"Mais de 99% da massa do universo visível é formado por prótons e nêutrons," afirma o estudo, publicado na revista Science. "Esses dois tipos de partículas são muito mais pesados do que os quarks e glúons que as constituem, e o Modelo Padrão da física deve explicar essa diferença."

Triplice Conjunção

Um belo Espetáculo a homenagear os olhos de quem encherga o que está por detrás do insondável. É pode captar a linguagem do Universo! A todos os que viagem pelo Universo à fora em seus veículos interdimensionais, aproveitemos o encontro Celestial!

Cida Medeiros

Quem costuma dar uma olhadinha e apreciar as belezas do céu noturno já reparou: logo que o Sol se põe, dois gigantes pontos de luz estão chamando bastante a atenção, até mesmo das pessoas mais leigas. Noite após noite esses pontos estão se aproximando um do outro e culminarão na mais bela tríplice conjunção do ano. Um espetáculo de encher os olhos!



Os dois pontos de que estamos falando são os planetas Júpiter e Vênus, que a cada dia parecem estreitar mais as distâncias que os separam no céu. Vênus, com seu esplendoroso brilho de -4 magnitudes é um farol no céu, enquanto Júpiter, logo acima, não deixa por menos e também brilha forte com -1.6 magnitude.Olhar os dois planetas bem próximos é de sem dúvida um belo espetáculo celeste, mas o movimento de convergência parece não cessar e continua em ritmo acelerado. Os mais observadores já perceberam: a distância entre eles está diminuindo muito rápido, por volta de 1 grau a cada noite. Em termos de comparação Isso equivale à largura visual de duas Luas cheias. O espetáculo é maravilhoso e provocativo e todas as noites a distância diminui. Se continuar assim, o que vai acontecer? A resposta é simples. No dia 29 de novembro (sábado), acontecerá o ápice da conjunção quando a distância entre os planetas atingirá seu ponto mínimo, estimado em três graus de separação. A distância é tão pequena que você quase poderá encobrir os astros com seu polegar estendido. Sem dúvida, será um colírio para os olhos e não será surpresa se você ouvir alguns cliques fotográficos ao seu redor!Essa história poderia terminar por aqui, com a dupla conjunção proporcionando um belo espetáculo do firmamento, se não fosse por um pequeno e importante detalhe: nossa Lua, teimosa, também resolveu participar do show...




E começa o espetáculo!Na noite do dia 30 (domingo), enquanto a dupla de planetas ainda é um grande espetáculo, nossa Lua em fase crescente começa a dar o ar da graça, exatamente no local da dupla-conjunção e como não poderia deixar de ser, rouba a cena e cria uma tríplice-conjunção. Ainda tímida, com apenas 10% de seu disco iluminado, a crescente Lua não passará de um fio de luz abaixo dos planetas, mas a beleza proporcionada será rara. Neste momento os relógios estarão marcando aproximadamente 20h30 pelo Horário de Brasília.

No dia seguinte, 01 de dezembro, a Lua estará ainda mais alta no céu, desta vez acima de Mercúrio e Vênus. Nosso satélite estará 15% iluminado e os planetas estarão tão perto dele que bastará o polegar estendido para tapar a visão do conjunto. O cenário não poderia ser mais belo, com os três astros formando um triângulo isóscele com um astro em cada vértice.O show da tríplice-conjunção poderá ser visto de qualquer parte do mundo, por isso não serão poucos os cliques que serão disparados contra o céu!O show não pode parar!Se você estiver observando o trio de astros através de binóculos, luneta ou telescópio aproveite e dê uma olhada ao redor da Lua. Apesar dela estar na fase crescente, você conseguirá perceber uma imagem tênue da Lua cheia, quase apagada. Esse fenômeno é chamado de "Brilho de Vinci", pois foi explicado pela primeira vez pelo gênio Leonardo da Vinci: os raios de Sol atingem a Terra e são refletidos contra a superfície escura da Lua, produzindo uma tênue luz que ilumina fracamente o terreno, permitindo ver todo o disco lunar.É isso. Se você não tinha o que fazer por essas noites, encontrou. Reserve esses dias, faça observações e capriche nas fotos. Não é sempre que a natureza nos dá essa chance. Bons céus!Artes: no topo, foto feita pelo colaborador Junior Sunset no dia 19 de novembro de 2008 mostra Júpiter (no topo) e Vênus próximo ao horizonte, ambos na constelação de sagitário. Na foto pode se ver claramente as magníficas estrelas Ascella, Nunki, Albaldah e Kaus Borealis. Acima, carta celeste mostra como será o céu do dia 1 de dezembro, durante o ápice do fenômeno natural. Créditos: Junior Sunset/Apolo11.

Fonte: http://www.apolo11.com/curiosidades.php?posic=dat_20081125-100055.inc

A Obsessão com o corpo


Sri Nisargadatta Maharaj - I Am That

D: Maharaj, você está sentado aí, diante de mim e eu estou aqui a seus pés. Qual a diferença básica entre nós?

M: Não há nenhuma diferença básica.

D: Mas, ainda assim parece ter alguma diferença real. Eu vim a você, você não veio até mim.

M: É porque você imagina essas diferenças que você veio aqui e vai ali em busca de uma pessoa superior.

D: Mas você é uma pessoa superior. Você alega conhecer a realidade enquanto eu não.

M: Eu por acaso lhe disse que você não sabe nada e, portanto, que você é inferior? Deixe aqueles que criaram essas distinções, prová-las. Eu não alego conhecer algo que você não conhece. Na verdade eu sei muito menos do que você.

D: Suas palavras são sábias, seu comportamento é nobre e sua graça é poderosa.

M: Eu não sei nada sobre tudo isso e não vejo diferença nenhuma entre você e eu. A minha vida é uma sucessão de eventos exatamente como a sua. A única coisa é que estou desapegado e vejo o show que passa somente como um show que passa enquanto você se apega às coisas e vai com elas de um lado para o outro.

D: O que o torna uma pessoa tão imparcial?

O Amor da Alma por Cida Medeiros

O Amor pulsando a partir do Ser.

Quando dois seres se encontram e se reconhecem o fluxo de energia amorosa desce a esse plano a fim de manifestar-se.

E pode ou não encontrar obstáculos.

O amor da alma, na qualidade de expressão que lhe é inerente, só pode acontecer a partir da vontade comum de duas pessoas.

Mas quando existem agressões, desentendimento, desrespeito e conflitos, o amor, deixa de encontrar caminhos para realizar-se, a partir do humano.

O corpo está ferido, a mente está adoecida, as emoções entorpecidas e o amor não consegue encontrar passagem.

Palestra Tanatologia







CONVIDAMOS A TODOS PARA A PALESTRA:



TANATOLOGIA: O sentido existencial da morte

 O que é Tanatologia?

A Tanatologia surgiu nos Estados Unidos, na década de 60, a partir dos trabalhos da psiquiatra Elizabeth Kübler-Ross e chegou ao Brasil nos anos 70.

A Tanatologia é um trabalho vivencial profundo, existencial, do sentido da morte. Com o auxílio correto, o doente terminal, seus familiares e as pessoas em geral, compreendem e aceitam melhor o ato de existir e partir, passando a participar positivamente do processo natural da vida, que consiste em perdas e ganhos, alegria e dor, saúde e doença, nascimento e morte. Tomam consciência de que são responsáveis pela sua saúde e que muita coisa deve ser feita nesse sentido, tornando-se ativos no processo de sua própria caminhada.

A Tanatologia tem recursos que permitem trabalhar as perdas em geral e o medo da morte, preparando-nos melhor para a vida.

 

Palestrante:


Ana Paula Teixeira do Rosário é psicóloga clínica, com especialização e atendimento em Tanatologia. Foi presidente da ABRATAN – Associação Brasileira de Tanatologia, durante dois anos, e participou de sua diretoria por mais dois anos. Idealizou o primeiro Curso de Pós-Graduação em Tanatologia do país.  Iniciou o atendimento em Tanatologia para os funcionários dos cemitérios de Belo Horizonte.   Firmou contrato com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, através da Secretaria de Administração, para a coordenação de cursos de capacitação em Tanatologia para os funcionários dos Cemitérios da PBH. Como coordenadora científica de Psicologia, ajudou a criar o primeiro Curso de Extensão em Tanatologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais. Coordena, junto à AMAS, o projeto Jovem Jardineiro, que capacita jovens da periferia de Belo Horizonte, inclusive, para trabalhar nos cemitérios. È professora do curso de Bioética pós graduação na PUC MINAS, pósgraduação na UFLA- Universidade Federal de Lavras e no curso de   pós graduação  em Dentística da UFMG. Ministra o curso de tanatologia  aberto para público em geral e é palestrante.


DIA 24 de Novembro - Sexta-feira   Ás 20hs
Local: Rua Tajá, 171
Valor: 10,00 reais
Inscrição somente pelo email: katia.abutara@grupocriativo.com.br


Após a palestra, será marcada a data do workshop de dois dias (12 horas) a quem se interessar com os seguintes temas:

                SOBRE A MORTE E O MORRER

- O medo da morte e o medo da vida
- Perdas, apegos, fantasias e ganhos
- As cinco fases da morte e do morrer: Elizabeth Kubler-Ross
-  A família do paciente
- A criança e a morte
- O envelhecimento em seus aspectos psicológicos
- O profissional de saúde e o paciente
- A morte nas principais religiões
- Sentido da vida e da morte
- O perdão

Todos os temas serão trabalhados de maneira teórica e vivencial.




--
"Ainda que distante, o sábio cria para o futuro valores humanos incomparáveis."

Me ke aloha pumehana
" Com muito amor"
visite minha pagina.
www.cidamedeiros.com

Meditação por Nisargadatta Maharaj


Sri Nisargadatta Maharaj - I Am That

Discípulo: Todos os professores nos aconselham a meditar. Qual é o objetivo da meditação?

Maharaj: Nós conhecemos o mundo exterior de sensações e ações mas, do nosso mundo interior de pensamentos e sentimentos nós conhecemos muito pouco. O objetivo inicial da meditação é tornar-se consciente e familiarizar-se com a vida interior. O objetivo final é alcançar a fonte de vida e consciência.

Incidentemente, a prática da meditação afeta profundamente nosso caráter. Nós somos escravos do que não conhecemos. Daquilo que conhecemos, somos mestres. Qualquer que seja o vício ou a fraqueza, se os descobrimos dentro de nós e entendemos as suas causas e como funcionam, nos tornamos capazes de superá-los por conhecê-los bem. O inconsciente se dissolve quando trazido à consciência. A dissolução do inconsciente libera energia: a mente se sente adequada e se torna quieta, silenciosa.

D: Para que serve uma mente quieta?

M: Quando a mente está quieta nós podemos nos perceber como puros observadores. Nós nos afastamos da experiência e do experimentador e nos mantemos a parte, no estado de pura consciência, a qual está entre e além dos dois. A personalidade, baseada na identificação com o ego e em imaginar que somos alguma coisa: "Eu sou isto, eu sou aquilo", continua, mas somente como parte do mundo objetivo. A sua identificação com a testemunha se quebra.

D: Até onde eu sei, vivemos em muitos níveis e a vida em diferentes níveis requer energia. O ego, pela sua natureza se delicia com tudo e sua energia se dispersa. Não é o objetivo da meditação repressar a energia em seus níveis superiores ou movimentá-las para baixo e para cima, permitindo que os níveis superiores do ser se desenvolvam?

M: Isso tem mais a ver com os gunas (qualidades) do que com níveis. A meditação é uma atividade sátvica e que se volta para a completa eliminação de tamas, a inércia e rajas, a mobilidade ou atividade. Satva puro (harmonia) é a perfeita libertação da indolência e da agitação.

D: Como fortalecer e purificar Satva?

M: Satva é pura e forte sempre. É como o sol que pode parecer obscurecido pelas núvens ou pelo pó, mas somente do ponto de vista do observador. Trabalhe com as causas do obscurecimento, não com o sol.

D: Para que serve Satva?

M: Para que serve a verdade, a bondade, a harmonia, a beleza? Essas qualidades são metas em si mesmo. Elas se manifestam espontaneamente, sem nenhum esforço quando deixamos as coisas seguirem seu curso, quando não interferimos, quando não evitamos, ou desejamos ou conceituamos, mas simplesmente as experienciamos em total consciência. Essa consciência, por si só é Satva. Satva não utiliza coisas e nem é usada pelas pessoa, ela as preenche.

D: Como eu não posso incrementar satva, devo trabalhar com tamas e rajas somente? Como faço para lidar com elas?

M: Observando suas influências em você e sobre você. Esteja consciente delas em operação. Observe-as se expressando em seus pensamentos, palavras e atos. Gradualmente a força delas sobre você diminuirá e a clara luz de satva começará a emergir. Isso não é nem difícil e nem um longo processo. A seriedade e sinceridade são as únicas condições para o sucesso.

Encontro do CIT


 
UNIPAZ-SP  e  CIT - Colégio Internacional de Terapeutas
 
convidam para o encontro do CIT em São Paulo que ocorrerá na
 sexta-feira, dia 21 de novembro, das 17h00 às 18h30,
no Convento Santíssima Trindade, Rua São Benedito, 2146
 (esquina com Av Vereador José Diniz e Rua Américo Brasiliense), 
Alto da Boa Vista, São Paulo - Entrada para o Estacionamento pela Rua Américo Brasiliense 
O orientador do encontro será 
Kaká Werá Jecupé 
Kaká Werá JecupéKaká Werá Jecupé é índio de origem tapuia, escritor, ambientalista, conferencista; fundador do Instituto Arapoty, organização voltada para a difusão dos valores sagrados e éticos da cultura indígena. É empreendedor social da rede Ashoka de Empreendedores Sociais e conselheiro da Bovespa Social&Ambiental. Desde 1998, leciona na Fundação Peirópolis e na UNIPAZ (Universidade da Paz). Tem como missão ajudar na construção e no desenvolvimento de uma cultura de paz pela promoção do respeito à diversidade cultural e ecológica. Já viajou e palestrou em diversos países, entre eles: Inglaterra, Estados Unidos, Israel, Índia, Escócia, México e França, sempre procurando levar mensagens da sabedoria dos povos ancestrais do Brasil. Pela Editora Peirópolis já publicou Tupã Tenondé, A terra dos mil povos - História indígena do Brasil contada por um índio e As fabulosas fábulas de Iauaretê

O Colégio dos Terapeutas - CIT, sob a orientação de seu mentor, Jean-Yves Leloup, foi fundado em 1992, tendo como sede, no Brasil, a Universidade Holística Internacional de Brasília, UNIPAZ. Inspira-se na tradição hebraica dos Terapeutas, aos quais nos reportou Philon de Alexandria, fornecendo-nos o formidável e ancestral testemunho de uma protoabordagem holística, que não separa, no ser humano, o que a própria Vida uniu: o corpo, a psique, a consciência e a Essência. Suas raízes remontam ao primeiro século de nossa era, no especial momento de transição do judaísmo para o cristianismo. Não sendo de cunho formativo, o CIT acolhe terapeutas já formados, das mais diversas competências e orientações, que se aliam em torno de uma visão holística; de uma escuta acolhedora das múltiplas dimensões do todo humano; de uma ética rigorosa e aberta de respeito à inteireza; de uma prática transdisciplinar na área de saúde integral e da arte do cuidar do Ser. A partir de uma visão de ecologia profunda, e de uma definição de saúde como um estado de bem estar psicossomático, social, ambiental e cósmico, postulada pela Organização Mundial de Saúde, três categorias de terapeutas são reconhecidas:
a clínica - reservada aos profissionais clínicos habilitados, como médicos, psiquiatras e psicólogos;
a social - reservada aos profissionais que cuidam do social, como educadores, empresários, engenheiros, arquitetos, artistas, políticos, cientistas, sacerdotes etc;
a ambiental - reservada aos cuidadores do meio-ambiente, como biólogos, ecólogos, teólogos, engenheiros florestais, entre outros.


Coordenação do CIT pela Unipaz S. Paulo Capital
Lucila Camargo
 
UNIPAZ - SP Capital
Universidade Internacional da Paz de São Paulo Capital
Site: 
www.unipazsp.org.br
E-mail: contato@unipazsp.org.br
Tel/Fax: (11) 5083-4278
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Próximos seminários UNIPAZ São Paulo 2008:
21 e 22 de novembro - Tradições Brasileiras - Kaká Werá - SP
12 e 13 de dezembro - A Arte de Viver a Passagem - Gislaine D'Assumpção - BH
19 e 20 de dezembro - Antigos e Novos terapeutas - Roberto Crema - DF




-

Vivência Xamanica

 


Vivência Xamanica em Extrema Minas Gerais, Pico dos Cabritos.

Dia 08 e 09 de novembro de 2008.

É sempre muito bom estar em contato com a natureza, realizando vivências que permitem
uma maior conexão com nossa essência natural.

Nesse final de semana, que foi muito rico, orientado por Samuel, Carla e com uma participação especial minha com  exercícios da Sabedoria dos Kahunas.

Samuel, Eu(Cida Medeiros) e Carla Nicolini.


Mitakuye Oyassin!
"Por todas as nossas relações!"

Babaji




"A mudança não é nada de novo. É uma lei da natureza. Tudo o que nasce deve morrer e o que morre deve nascer. O ser humano é escravizado pela sua natureza inferior. Eu vim para conduzir os seres humanos a uma senda mais elevada. O Eu Superior deve ser desenvolvido para que o Eu Inferior seja destruído e o coração seja transformado. Sejam humanos. Levem esta mensagem para o mundo"

Babaji

Energia ao Alcance de todos



Energia ao alcance de todos: o sistema mundial de transmissão de energia

“Não há uma crise de energia. Há apenas uma crise de ignorância.”
R. Buckminster Fuller

O que Tesla pretendia não era, simplesmente, tornar acessível a todos o uso da energia elétrica. Sua capacidade de visão o levou a lutar por um ideal ainda mais abrangente: a transmissão de energia elétrica sem fios mediante um sistema que permitiria distribuí-la pelo mundo inteiro, fazendo com que ela passasse a ser propriedade da humanidade. As casas, fábricas, trens, aviões, submarinos, carros e barcos receberiam esta energia através de antenas que os conectariam às torres receptoras locais. Esta seria a realização mais importante de toda a sua carreira.

O coração desse sistema era a “bobina de Tesla”, dispositivo capaz de produzir correntes alternadas com tensões de até milhões de volts e altas correntes e, ainda, com frequências variadas. Tesla descobriu que, se uma lâmpada fluorescente era colocada a pouca distância desse dispositivo, ela se acendia e irradiava luz sem que, para tanto, houvesse necessidade de fios. O fenômeno da ressonância elétrica era a chave daquela descoberta. Em 1891, Tesla havia acabado de se tornar cidadão norte-americano, e essa nova tecnologia iria ser o seu presente ao país que o acolhera e ao mundo. Através dela, seria possível transmitir energia instantaneamente, a qualquer distância, através do ar. E isto significava energia gratuita para todos.

Um dos assistentes de Tesla questionou as implicações desse plano de distribuição de energia. Ele perguntava se uma empresa provedora de energia elétrica aceitaria fornecer sua mercadoria gratuitamente e se Tesla seria “autorizado” a introduzir um sistema como esse. Mas essas dúvidas só conseguiram exasperar o inventor, pois ele estava convicto de que seu plano iria ser aceito simplesmente porque se tratava de algo correto e que deveria ser realizado.

Com o tempo, a visão de Tesla a respeito da transmissão de energia sem cabos foi se ampliando e evoluindo. A transmissão através do ar apresentava limitações devido à perda de energia a grandes distâncias. Por isso, ele decidiu usar a terra, e não o ar, como meio de propagação de energia. A própria Terra poderia fazer as vezes de condutor; as ondas elétricas se expandiriam através da crosta terrestre em frentes de ondas concêntricas passíveis de serem recebidas e utilizadas em pontos geográficos distantes. Desta forma, o planeta inteiro seria convertido num transmissor elétrico colossal.

Numa noite de 1899, Tesla realizou em seu laboratório, na cidade de Colorado Springs, um de seus experimentos mais famosos. Em sua tentativa de enviar energia elétrica através da terra, ele descobriu um efeito a que deu o nome de crescimento ressonante. Essa descoberta pode ser considerada uma das mais importantes façanhas elétricas já realizadas pelo homem. A tensão acumulada na antena da torre do laboratório produziu um arco de luz que se estendeu em direção ao céu e cresceu progressivamente até chegar a um comprimento de mais de 40 metros. E a experiência só não teve resultados ainda maiores porque houve uma interrupção inesperada: o gerador de energia elétrica da cidade de Colorado Springs não agüentou a sobrecarga e acabou se queimando. Tesla explicou o efeito de crescimento ressonante dizendo que a corrente elétrica havia atravessado o planeta inteiro até refletir-se no lado oposto, tendo sido reforçada por pulsos elétricos obtidos do gerador a cada vez que ela retornava ao seu ponto de partida.

Maiores Informações:

http://www.exatas.com/fisica/tesla.html

Energia Tachyonica



O corpo humano é composto de energia elétrica, magnética e de Tachyon (energia sutil).

A Energia Tachyonica é também referida como Prana, Chí, Energia Universal, Aura e outros nomes.

Nosso corpo não é apenas sensível, mas energeticamente balanceado por ela.

A palavra Tachyon (grega) é traduzida como ‘partícula rápida’.

É mais rápida que a velocidade da Luz e deriva da palavra ‘tachytis’ > velocidade.

Nos séculos passados, cientistas ficaram muitos céticos com este fenômeno.
Conhecimentos sobre essa energia tem sido usados nos últimos 40 anos, mas só foi realmente provado a sua existência nos anos de 1960.

A Energia Tachyon foi definida pelo Dr. Gerald Feinberg do MIT em 1966 como partícula subatômica mais rápida que a velocidade da Luz. Mas muito antes cientistas do mundo todo têm feito experimentos com ela.

Muitas pessoas usam produtos tachyonicos em jóias, cintos e outros.

Nikola Tesla fez vários experimentos usando como fonte de energia.

Dr. Henry Moray também teve sucesso criando energia convertida, usada como energia livre.

Hoje muitos cientistas trabalham com energia livre focando a conversão da energia Tachyon em energia elétrica.

Nós usamos primeiro para harmonizar estruturas subatômicas e como ferramentas especificas para tratamentos terapêuticos.

A Energia Tachyonica fortalece o campo energético quando colocado diretamente no corpo.

Ele ativa e intensifica a estrutura das células, restabelecendo a ordem.

Resultados :

· -Equilibra a saúde através do campo-eletro-magnético.
· -Melhora a micro-circulação, equilibra o fluxo do Chí no corpo.
· -Libera bloqueios
· -Fortalece o bem-estar.
· -Vitaliza as bebidas e os alimentos
· -Combate o stress e a fadiga
· -Favorece as terapias através da harmonização dos chacras
· -Promove a saúde natural

Lembrando que seu pensamento pode transportar esta energia para seu frontal mesmo sem objetos tackyonizados como pedras e cristais.

A força está em você. Você a transporta para onde quiser.
Para que esta energia se instale no seu corpo permanentemente basta determinar, visualizar e instalar em seu frontal. Todos somos capazes. É só querer !

QUERER É PODER !!!