A MAIOR TEORIA DO SÉCULO


A MAIOR TEORIA DO SÉCULO
Superinteressante, Fevereiro/2001

Se você ouviu falar do centenário da mecânica quântica, no final do ano passado, sem entender direito o que significava não se preocupe: muito pouca gente sabe que se trata da teoria científica mais importante do século.

Apesar de quase desconhecida, a teoria quântica está presente em tudo - ela abriu caminho não apenas para a criação do laser, do computador e de todos os equipamentos digitais em uso atualmente, como também foi decisiva para os avanços espetaculares da química e da biologia nas últimas cinco décadas. Acredita-se que a comercialização de todos os produtos viabilizados pela teoria quântica movimenta 25% do Produto
Interno Bruto dos Estados Unidos. Não admira que a elaboração da teoria tenha demorado 27 anos para ficar pronta, exigindo o trabalho dos 15 ou 20 físicos mais brilhantes do século XX, inclusive Albert
Einstein (que era contra).



O grande impacto da teoria deve-se, em grande parte, a duas descobertas desconcertantes. A primeira deu ao alemão Max Planck, seu autor, o título de fundador da mecânica quântica. Em dezembro de 1900,
ele anunciou que um raio de luz é composto de pequenos "pacotes" de energia, desde então chamados de quanta (plural de quantum, "pacote", em grego). Essa idéia violava o conceito consagrado nos dois séculos
anteriores de que a luz é uma espécie de fluido e poucos deram atenção ao achado.

Os quanta só emplacaram quando Einstein, em 1905, demonstrou cabalmente que eles existiam e, mais tarde, ensinou como usá-los para gerar os poderosos raios laser. A segunda descoberta fundamental
postulava, pela primeira vez, que um corpo pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Esse conceito tem a ver com o cálculo das probabilidades e pode ser descrito da seguinte maneira: se um carro
tem duas vagas em um estacionamento, se diz que ele ocupa as duas ao mesmo tempo, com 50% de probabilidade de estar em uma delas e 50% na outra. Parece uma idéia meio maluca, mas ela é essencial na construção dos chips dos computadores.

É verdade que a mecânica quântica só se aplica aos corpos menores que os átomos (o exemplo do carro serve apenas para ilustrar o conceito).
Essa limitação, para alguns físicos, indica que a teoria quântica tem de ser reformulada ou substituída por outra melhor. Seja como for, ela chega aos 100 anos com uma folha de serviços inigualável. E, ao que
tudo indica, com vigor para gerar tecnologias mais avançadas, como o tele transporte e a nanotecnologia.

1900 - O alemão Max Planck descobre que os raios luminosos contêm uma
infinidade de minúsculos "pacotes" de energia, chamados quanta de luz.

1905 - Albert Einstein demonstra definitivamente a existência dos
quanta e, mais tarde, mostra que podem gerar raios poderosos, os laseres.

1913 - O dinamarquês Niels Bohr revela que, se um elétron em um átomo
emite um pacote de luz, passa a girar mais perto do núcleo atômico; e
volta à posição inicial se receber um pacote luminoso de outro átomo.

1926 - Erwin Schroedinger escreve a fórmula segundo a qual um objeto
pode estar em dois lugares simultaneamente, com 50% de chance de estar
em um deles e 50%, no outro. Isso vale apenas para partículas
atômicas.

1927 - Werner Heisenberg postula o princípio da incerteza, segundo o
qual não se pode saber ao mesmo tempo onde está um objeto e a sua
velocidade. Se a velocidade é exata, a posição é imprecisa, e vice-
versa.

OBS - No site da Superinteressante foi disponibilizado o acesso
gratuito a qualquer revista anterior a das bancas, consulte:
http://super.abril.com.br/superarquivo/index_superarquivo.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.