A MAIOR TEORIA DO SÉCULO


A MAIOR TEORIA DO SÉCULO
Superinteressante, Fevereiro/2001

Se você ouviu falar do centenário da mecânica quântica, no final do ano passado, sem entender direito o que significava não se preocupe: muito pouca gente sabe que se trata da teoria científica mais importante do século.

Apesar de quase desconhecida, a teoria quântica está presente em tudo - ela abriu caminho não apenas para a criação do laser, do computador e de todos os equipamentos digitais em uso atualmente, como também foi decisiva para os avanços espetaculares da química e da biologia nas últimas cinco décadas. Acredita-se que a comercialização de todos os produtos viabilizados pela teoria quântica movimenta 25% do Produto
Interno Bruto dos Estados Unidos. Não admira que a elaboração da teoria tenha demorado 27 anos para ficar pronta, exigindo o trabalho dos 15 ou 20 físicos mais brilhantes do século XX, inclusive Albert
Einstein (que era contra).

O SILÊNCIO É UM ALIADO DO XAMÃ


Nós os índios, conhecemos o silêncio...
Não temos medo dele.
Na verdade, para nós ele é mais poderoso do que as palavras.
Nossos ancestrais foram educados nas maneiras do silêncio.
E eles nos transmitiram este conhecimento.
Observa, escuta, e logo atua, nos diziam.
Esta é a maneira correta de viver.
Observa os animais para ver como cuidam de seus filhotes.
Observa os anciões para ver como se comportam.
Observa o homem branco para ver o que querem.
Sempre observa primeiro, com o coração e a mente quietos.
E então aprenderás.
Quando tiveres observado o suficiente, então poderás atuar.
Com vocês, brancos, é o contrario.
Vocês aprendem falando.
Dão prêmios às crianças que falam mais na escola.
Em suas festas, todos tratam de falar.
No trabalho estão sempre tendo reuniões, nas quais todos interrompem a todos, e todos falam cinco, dez, cem vezes.
E chamam isso de “resolver um problema”.
Quando estão numa habitação e há silencio, ficam nervosos.
Precisam preencher o espaço com sons.
Então, falam compulsivamente, mesmo antes de saber o que vão dizer.
Vocês gostam de discutir.
Nem sequer permitem que o outro termine uma frase.
Sempre interrompem.
Para nós isso é muito desrespeitoso e muito estúpido, inclusive.
Se começas a falar, eu não vou te interromper.
Te escutarei.
Talvez deixe de escutá-lo se não gostar do que estas dizendo.
Mas não vou interromper-te.
Quando terminares, tomarei minha decisão sobre o que disseste, mas não te direi se não estou de acordo, a menos que seja importante.
Do contrario, simplesmente ficarei calado e me afastarei.
Terás dito o que preciso saber.
Não há mais nada que a dizer.
Mas isso não é suficiente para a maioria de vocês.
Deveriam pensar em vossas palavras como se fossem sementes.
Deveriam plantá-las, e permiti-las crescer em silêncio.
Nossos ancestrais nos ensinaram que a terra esta sempre nos falando, e que devemos ficar em silêncio para escutá-la.
Existem muitas vozes além das nossas.
Muitas vozes.
Só vamos escutá-las em silêncio...


Autor: Akaiê Sramana
Grão-Mestre e Fundador da Sagrada Tradição Xamanismo Ancestral
Fundador do Centro Espiritualista Xamânico Ancestral ALDEIA DE SHIVA


Referência: http://www.xamanismoancestral.com.br/artigos/o_silencio.html

Wesak - Lua Cheia de Maio


Lua Cheia de Wesak
19 de maio

Wesak é a mais poderosa Lua Cheia do ano – é a Lua Cheia quando o Sol está Touro. O trânsito do Sol em Touro exalta a Lua, Touro é regido por Vênus, o governante espiritual da Terra. Vênus é identificada com Maria, Mãe do Mundo. Maio, o mês de Touro, é o mês de Maria. Vênus aparece na direção Oeste como o Deus Quetzalcóatl, a serpente emplumada que trouxe a iluminação aos Maias; no Leste ela é Maya, a Mãe de Buda.
O ciclo lunar é uma onda de criação que é concretizada quando a Lua está cheia. Cada fase da Lua Cheia traz possibilidade de cura ao corpo, a mente e a alma. A Lua é a Mãe, ela reflete a Luz do Sol para nutrir, apoiar, proteger e trazer as sementes da flor da inspiração.
O Festival de Wesak tem sido, tradicionalmente, associado na parte oriental da civilização com o Buda, divino intermediário entre as mais elevadas hierarquias espirituais, centro do planeta. O Buda é a expressão da sabedoria de Deus, a encarnação da Luz e do indicador de propósito divino, colabora neste festival com seu irmão o Cristo, que representa a hierarquia. O Buda encarna o Princípio da Luz, e devido a essa iluminação a humanidade foi capaz de reconhecer o Cristo, a encarnação do maior Princípio do Amor. A cada ano, no momento de Wesak, dois grandes fluxos de energia - um focalizado através no Buda e o outro através de Cristo - são fundidos e misturados.
Quanto maior for o número de pessoas que meditarem nesta data, mais forte será a irradiação do campo magnético do grupo e do seu coração.
Vamos Meditar na Luz Cheia de Wesak

No Ritmo dos Monges - Anselm Grün

Esse email, esta sendo repassado do grupo de trocas de Ebook. Um belo trabalho realizado pela equipe do Digital Source, que visa a democratização da leitura.

Caso você tenha interesse em participar é só entrar no link abaixo:

Ebook

Cida Medeiros

Olá pessoal, mais um livro digitalizado, revisado e formatado pela equipe Digital Source, com a intenção de dar aos deficientes visuais a oportunidade de apreciar mais uma manifestação do pensamento humano.
Para facilitar o acesso para os amigos DVs, estamos enviando em anexo o arquivo em txt.
Salientamos que os livros preparados pela equipe Digital Source são fruto de trabalho voluntário e distribuídos gratuitamente não visando qualquer vantagem ou lucro financeiro.
---------------------------------------------------------------------------­-----
Titulo: NO RITMO DOS MONGES
Autor: Anselm Grün
Gênero: Religião
Editora: Ed. Paulinas
Para muitos, pode parecer antiquado o modelo de vida dos monges.

Vivem em um outro mundo; fazem coisas que podem ser consideradas aos olhos do mundo uma desperdício de tempo. O dia-a-dia segue regras: cinco vezes por dia reúnem-se para as orações das Horas; cumprem ritos e celebram demoradamente cultos religiosos. Na tradição milenar, originada no quarto século e que se estende pelos dois milênios de cristianismo, tanto no Oriente como no Ocidente, os monges fizeram com o tempo uma experiência que também para nós pode ser proveitosa. Eles não se consideram mestres, querendo convencer os outros sobre seu estilo de vida. Nem tampouco têm a pretensão de ser os missionários de nosso tempo ou de seus contemporâneos. Mas têm o prazer em viver o próprio modelo de vida, mesmo hoje, em uma sociedade muito diferente.

Possuem uma qualidade que na vida do mundo moderno ficou soterrada ou escondida. \"Todo dia, ainda me permito a liberdade de um \"desperdício de tempo\" com oração e meditação. As primeiras três
horas do dia são um tempo de silêncio\", revela Dom Anselm Grün, autor de No ritmo dos monges - Convivência com o tempo, um bem valioso, editado por Paulinas. A obra é uma pequena jóia reveladora do sentido da vida que se desenrola no tempo. Convencido de que o modo como os monges experimentam o tempo tem algo a dizer também para os que não vivem no mosteiro e têm diferentes experiências do tempo, o autor estuda o ritmo dos monges e o aplica à vida contemporânea, tão orientada para a eficiência. Consegue deixar visível uma organização interna e um caminho temporal diferentes da agenda de compromissos ou do relógio de ponto com os quais trabalha o mundo da economia moderna.
Oferece dicas simples, facilmente aplicáveis, para que estruturemos de outra forma os dias e os anos, confiando em um ritmo pessoal e aproveitando-os de acordo com a própria alma. Depois de indicar as
raízes culturais do tempo cristão e monástico, por assim dizer, o autor insiste no fato de que o tempo cronológico é simples medida do ritmo da vida, que precisa ser acolhido e respeitado, para que o ser
humano encontre o caminho de sua plena realização. \"O tempo é como um véu que encobre o mistério da eternidade, manifestando a precariedade da existência humana aqui na terra, mas contendo uma dimensão de transcendência, que nada mais é do que a vida terrena vivida na perspectiva de Deus\", diz.
Livro Inédito
Digital Source
Distribuindo conhecimento e cultura
Tamanho: 135

Outras obras do autor
Livro preparado por: Amigo do Grupo /
http://www.4shared.com/dir/6690339/f433cbeb/Religio.html
1269178100_2c40b0dbc1_o.jpg
49KViewDownload
noritmo.jpg
77KViewDownload
Anselm Grun, NO RITMO DOS MONGES(txt)(rev).zip
118KDownload

O Despertar


O grande desafio do Despertar é o auto-reconhecimento.

Buscamos que nossa Divindade Interior materialize-se em um Mestre Exterior que possa nos sinalizar a respeito do quanto avançamos no caminho do Despertar.

Mas mesmo assim é o Ego que está querendo atuar...

Pois quando estamos sintonizados com a divindade, ficamos em paz com que somos.

Mais tenho a sensação que quanto mais Despertos estamos, manifestamos...

...mais simplicidade.

O Ser Humano é dotado de uma auto-estima espiritual muito frágil.

Com isso vê o poder como estando fora, no outro, em alguém mais importante...

Ou então possui distorções de Ego, que o fazem ficar identificados com o Poder Espiritual e com isso, achar-se melhor, superior, divino, fora do comum, com poderes extras ou dono da verdade.

Mais isso é apenas uma etapa do caminho rumo ao Despertar.

Quanto mais purificamos a nós mesmos...

Mais nos livramos da ilusão da Separação.

E conseguimos um bom discernimento em relação ao Julgamento...

resultado das impregnações culturais.

Mas o mais incrível é saber que você é comum.

Sente tudo, vive tudo, como qualquer pessoa.

Qual a diferença, então?

O Ser que é Desperto percebe o que está acontecendo...

Sabe distinguir ...

Sabe como voltar para sua casa interior.

Sabe como refazer sua conexão com o Divino.

Sabe da transitoriedade de todas as coisas.

Sabe do Jogo de Maya.

Mais também sabe que é possível transcender todas essas coisas e encontrar uma infinita Paz Interior.

Experimenta a dor, mais não sofre.

Possui uma incomensurável compaixão...

Pode estar desperto, mas é comum.

Sabe que enquanto estiver encarnado existe tarefa de purificação.

De liberação.

De Transcendência

De Evolução

Porém é...

Comum à todos.

A perfeita imperfeição!

Em evolução, como tudo no universo.

Mais profundamente desapegado...

quase que totalmente livre dos julgamentos.

Só uma pouco mais desperto, mais feliz, mais livre do sofrimento, mais em paz.

Eis o grande mistério.

Simples assim

Cida Medeiros

OS SETE HÁBITOS DAS PESSOAS MUITO EFICAZES

*OS SETE HÁBITOS DAS PESSOAS MUITO EFICAZES*
*Stephen R. Covey*
Vencer é um hábito. Assim como fracassar.
Isso explica a obsessão de Stephen R. Covey, consultor empresarial e
escritor de sucesso, com os hábitos das pessoas bem-sucedidas. Vinte e
cinco
anos de experiência, reflexão e pesquisa o convenceram de que sete
hábitos:
Ser Proativo,
Liderança Pessoal,
Administração Pessoal,
Liderança Interpessoal,
Comunicação Empática,
Corporação Criativa,
Auto-renovação Equilibrada,
distinguem as pessoas felizes, saudáveis e bem-sucedidas daquelas que
fracassam ou precisam sacrificar o equilíbrio e a felicidade para ter
êxito.
Com isso, o livro foge do convencional em obras sobre administração e
propõe
a síntese definitiva entre eficácia profissional e satisfação pessoal.
Ele
nos revela como conseguir a paz de espírito a nível interno e
conquistar a
confiança das pessoas a nível externo buscando as origens do
comportamento
humano no caráter das pessoas, em seus princípios, em vez de apenas
sugerir
posturas.
Stephen Covey fornece uma poderosa filosofia de vida que também é a
melhor
garantia de sucesso rio mundo dos negócios. Uma combinação perfeita de
visão, compreensão e experiência prática.


OS SETE HÁBITOS DAS PESSOAS MUITO EFICAZES - STEPHEN R. COVEY.











"Oração ao Espírito Santo para pedir a saúde"


"Oração ao Espírito Santo para pedir a saúde"
 
          Divino Espírito Santo, 
Criador e Renovador de todas as coisas,
 vida da minha vida!
 Com Maria Santíssima, 
eu vos adoro, agradeço e amo! 

Vós, que dais vida a todo o universo,
 conservai em mim a saúde. 
Livrai-me de todas as doenças 
e de todo mal! 

Ajudado com a vossa graça,
 quero usar sempre minha saúde, 
empregando minhas forças para a glória de Deus, 
para o meu próprio bem
 e para o bem do próximo. 

Peço-vos, ainda, que ilumineis, 
com vossos dons da sabedoria e ciência,
 os médicos e todos os que se ocupam dos doentes, 
para que conheçam a verdadeira causa dos males que destroem ou ameaçam a vida,
 e possam também descobrir e aplicar 
os remédios mais eficazes, para defender a vida e curá-la.

 Virgem Santíssima, 
Mãe da Vida e Saúde dos enfermos, sede mediadora
 nesta minha humilde oração! 
Vós que sois a Mãe de Deus e nossa Mãe,
 intercedei por mim!

Amém.

Bem-aventurado Tiago Alberione

Sofrimentos e o Ser Essencial

Muitas vezes, a pessoa está vivendo um momento de muito sofrimento e solidão.

Tudo parece desabar a sua volta.

Relacionamentos desfeitos, emprego na berlinda, desafetos e toda sorte de problemas.

A pessoa não quer encarar isso, tem dificuldade de ver o quanto tem de responsabilidade sobre os eventos de sua vida e coloca-se como vítima.

Estar presente, significa poder parar, respirar fundo e querer olhar para dentro de si mesma.

Sair da posição viciada de buscar os responsáveis por sua infelicidade e de continuar achando justificativas para o que esta vivendo, eis o grande passo para sair desse emaranhado.

É uma tomada de decisão, que pode vir orientada por alguma força interior, que vem de dentro ou surge através de alguém que fará esse papel de "despertar" o "Ser" que existe dentro de cada um de nós.

É os primeiros passos para o encontro consigo mesmo, com suas verdades internas é o estar "presente".

E esse redirecionamento do olhar, o deixar de olhar para fora e voltar essa "atenção" para dentro de si mesmo que fará a grande diferença.

O caminho para se encontrar e sentir a presença do Ser, é o coração. Sair da cabeça e tentar ouvir os sentimentos.

O Ser, deve ser sentido.

Não dá para ser explicado.

As palavras não conseguem conter. Vai além.

A mente confunde o real do ilusório. Ainda que tudo possa ser considerado Maya no final das contas.

É a mente que se apega aos fatos. E a mente que complica mais ainda os acontecimentos. E a mente que aprisiona os sentidos e escraviza.

E essa falsa ilusão que se cria e o medo que surge a partir daí, que confunde a percepção do Ser Essencial que existe em cada um de nós.

O Ego, que tem essa noção de eu, e que perde a noção de vários eus, que se expressam em vários momentos, de diferentes maneiras e cada um deles quer coisas absolutamente distintas, com diferentes diálogos, fazendo a pessoa ter um comportamento completamente confuso e muitas vezes maluco. Ninguém entende, nem dentro e nem fora, é o caos.

O Ser Essencial é a unificação, é a não dualidade e a capacidade de estar presente no aqui agora e fluir de acordo com cada situação. E a atenção no momento presente. Um olhar de um outro lugar de dentro, capaz de perceber essas incoerências e deixar acontecer a vida de maneira a trazer uma paz interior e uma compreensão desses diferentes eus.

Quando renunciamos, entregamos, silenciamos é que o "Ser" pode manifestar-se.

Desprender-se das coisas, fatos, pessoas, situações e acontecimentos pode revelar uma força bem maior.

E daí que surge a confiança.

Ter fé é acreditar. A confiança é o caminho que leva até porta.

A intenção é a chave que a faz abrir, para que a Presença, o Ser Essencial possa realizar-se.

E então, quando nos entregamos a esse fluxo, a energia toma um novo caminho.

Percebemos melhor as nossas crenças e nossos aprisionamentos internos.

E assim a Vida nos proporcionará todas as experiências que nos forem as mais úteis a evolução de nossa consciência.

Uma coisa que ouvi certa vez, de uma Mestra Espiritual: - O Divino é Próspero, em seu reino, infinitas riquezas estão a disposição. Mas é preciso saber abrir a porto certa. E aqui, entende-se riqueza como a bem aventurança, amor, saúde, paz e alegria.

E o caminho é para dentro de si mesmo.

Porque as riquezas do espírito, são bem mais profundas dos que as riquezas efémeras do mundo material.

E caminhar com as duas é a graça celestial.

Por

Cida Medeiros


Obs: Esse texto pode ser reproduzido, copiado, distribuído, desde que, conserve a autoria e o origem.

http://cidamedeiros.blogspot.com/

Novo Visual

Olá Pessoal,

Estou inaugurando essa nova etapa de vida, trocando a cara do meu Blog.

Estou Feliz, Sinto um Ar de Renovação!

Bem Vindo! Venha Sempre!

Deixe sempre um recadinho.

Continue acompanhando as postagens.

Faça um Link do Meu Blogger no seu Site ou no seu Blog.

Um forte abraço.

Cida Medeiros

COSMOS


Quem tem interesse pelas teorias evolucionistas vai gostar de assistir esse vídeo.
Cida Medeiros

Música como remédio - Neurologia


Música de Mozart ajuda a curar doenças graves, dizem pesquisadores

da Ansa, em Londres

Especialistas do Instituto de Neurologia de Londres afirmam que a música de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) pode funcionar melhor que remédios tradicionais no tratamento de diversos males, até mesmo de doenças complexas como a epilepsia.

Segundo artigo publicado nesta quarta-feira (19) no jornal inglês "Independent", os pesquisadores suspeitaram das qualidades terapêuticas da obra do compositor austríaco quando trataram um paciente de 46 anos que sofria de graves ataques epilépticos e não havia reagido bem a sete tipos de terapias (à base de remédios avançados), e nem mesmo a uma intervenção cirúrgica no cérebro.

Após uma acentuada e inexplicável melhora, os médicos descobriram que o paciente havia começado a escutar a música de Mozart durante cerca de 45 minutos por dia e que seu bem-estar vinha deste novo hábito.

A Universidade de Illinois (Estados Unidos) também relatou, após o caso do paciente inglês, uma situação parecida envolvendo uma criança portadora da síndrome de Lennox-Gastaut (variante rara da epilepsia).

Inteligência

Seguindo os indícios, os médicos descobriram que "doses" de Mozart aumentariam a capacidade matemática e visual, reduziriam o estresse e dores de artrite, além de produzir efeitos positivos no coração e em fetos, no caso de gravidez (estimulando o cérebro do bebê).

Em testes com ratos e carpas, verificou-se melhora no senso de orientação e humor (especialmente com as notas de "Eine Kleine Nachtmusik").

A causa dos efeitos ainda não é tão clara, mas muitos especialistas afirmam que a zona do cérebro que recebe e processa a música é a mesma da percepção espacial, por exemplo. Os estímulos provocados pela complexa e refinada música de Mozart, sobretudo a sonata K448, teriam, portanto, um impacto benéfico na massa cinzenta, organizando e estimulando células nervosas precárias, em um processo comparável a impulsos elétricas.

Em testes com voluntários humanos, verificou-se que, ao escutar a sonata K448 para dois pianos, o quociente de inteligência do grupo cresceu entre oito e nove pontos. Sobre a exclusividade da música de Mozart, e não de outros compositores, os médicos arriscam que as composições do austríaco trazem uma peculiar técnica de construção musical, baseada em temas circulares com intervalos fixos e variações moduladas do motivo principal.


http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u383766.shtml