Dicas para Comunicação

Domine a comunicação (verbal, escrita, gestual...)
Usar a comunicação de forma eficiente é o caminho mais seguro para você dar um impulso na sua carreira. Veja o que fazer para se tornar uma expert nesta arte e sair por aí esbanjando segurança 

TEXTO:ADRIANA NATALI



Os números assustam: 80% dos problemas numa corporação são provenientes de falhas na comunicação. Parece até coisa de maluco, mas a realidade é essa. As pessoas não conseguem se comunicar. E isso pode ser decorrente de vários fatores: política da empresa - inibe a interação entre os colaboradores -, timidez, falta de conhecimento, arrogância, enfim, motivos que justifiquem esse quadro nada favorável não faltam, sobram.
Faça uma pequena pausa agora. Pense como seria um mundo sem a comunicação, quero dizer sem a linguagem oral, escrita, verbal, comportamental. Conseguiu? Claro que não, pois a comunicação é o elo entre as pessoas, os grupos e as sociedades. Sem ela nada perdura, resiste ou sobrevive. Entretanto não basta apenas se comunicar, é preciso fazer isso bem-feito, ou melhor, com clareza e objetividade, ou então, você passará a ser mais uma a "encher lingüiça". Portanto, é hora de fugir desse rótulo. E mais: se tornar uma expert na arte de dominar a palavra.

ESTRATÉGIA PARA SER UMA EXPERT

- Exponha seus propósitos, objetivos, metas, planos
- Adeqüe sua linguagem ao interlocutor;
- Observe a entonação e postura das locutoras de telejornal. Fale sempre expressando credibilidade;
- Leia muito. Saiba falar sobre diversos assuntos;
- Saiba qual vida você quer ter e aproxime-se de pessoas que tenham relação com isso;
- Fale olhando nos olhos da pessoa e demonstre atenção ao que ela fala;
- Discorde sem ser desagradável. Use perguntas, pois será mais fácil seu interlocutor entender

POR SILVIO CELESTINO, DIRETOR DA ENLEVO

QUEM NÃO SE COMUNICA SE ESTRUMBICA

A famosa frase do saudoso comunicador televisivo Chacrinha é mais valorizada do que nunca no universo corporativo atual e você sabe bem disso. A comunicação está tão em foco que as empresas estão se preocupando, cada vez mais, em divulgar suas imagens por meio da chamada comunicação institucional. "Sempre e em qualquer situação, é necessário passar uma mensagem clara e objetiva para o ouvinte e talvez essa seja uma tarefa difícil porque depende de diversos fatores", afirma Fernanda Campos, sócia-diretora da Mariaca Intersearch.

Para despertar o interesse de alguém, mantenha a conversa agradável e atraia a atenção para suas idéias, porém, não basta apenas ser clara e direta. É necessário mais do que isso. Tente mostrar entusiasmo, interesse pelo outro, por exemplo. Não esqueça que a comunicação envolve vários aspectos que variam de pessoa para pessoa.

A falta de hábito de expor seus pensamentos por medo de uma crítica ou por uma educação muito repressiva é um desses aspectos. "Nestes casos a melhor solução é se conscientizar de que esta causa existe e começar gradualmente a revelar suas opiniões com mais freqüência. inicie mostrando seus pensamentos, para ganhar confiança, quando eles não forem opostos excessivamente aos das outras pessoas envolvidas na conversa", aconselha o consultor Carlos Hilsdorf.

1.

NINGUÉM PERDE, TODOS GANHAM
Comunicar é uma verbo que exige mais de uma pessoa e não é uma disputa, portanto, não tente sair vencedora de uma conversa. Alguns profissionais, nos ambientes de trabalho pensam ser essencial sempre 'sair por cima do bate-papo'. Pura ilusão que pode inibir aquelas que não estão dispostas a entrar no duelo verbal. Fazer conhecidos seus pensamentos e submetê-los à crítica é muito mais um processo de aprendizagem do que uma competição.
Quando um indivíduo é criticado durante uma apresentação ou diálogo, diz Silvio Celestino, diretor da Enlevo, ele acaba perdendo o foco e fala como se estivesse despreparado. "Com o tempo isso se acentua e o profissional perde o desejo de se colocar em público ou mesmo de arriscar-se a se aproximar de alguém que poderia ser relevante para sua carreira ou para o propósito que deseja alcançar".


OS 7 HÁBITOS DO BOM COMUNICADOR


1. Sorrir sempre para os outros
2. Elogiar com honestidade
3. Agradecer é primordial
4. "Descobrir" o outro que está ao seu lado e ver suas qualidades
5. Cooperar é construir juntos

6. Perguntar, não como bisbilhoteiro, mas como interessada no outro, demonstrando gentileza
7. Compreender primeiro, para depois ser compreendido.


JOSÉ ANTÔNIO ROSA, CONSULTOR DA MANAGER

TREINE EM CASA COM UM GRAVADOR,
UMA FILMADORA OU ATÉ UM
MICROFONE, CASO PRECISE FALAR EM PÚBLICO


AMBIENTE FAZ O COMUNICADOR

Com relação ao ambiente, há famílias que 'levantam' e outras que 'derrubam' a pessoa em termos de qualificação. "Os pais não devem ser entraves à auto-estima dos filhos. Se o indivíduo cresce em uma atmosfera que 'derruba' poderá ficar com a auto-estima comprometida e desenvolver senso de inadequação.

Do mesmo modo, há países, escolas, empresas, departamentos e comunidades que fazem mais pela expressão pessoal e outros menos, aponta José Antônio Rosa, consultor da Manager. Aí, é essencial buscar força interior para se sobrepor aos círculos inibidores.

Domine a comunicação (verbal, escrita, gestual...)
Usar a comunicação de forma eficiente é o caminho mais seguro para você dar um impulso na sua carreira. Veja o que fazer para se tornar uma expert nesta arte e sair por aí esbanjando segurança

TEXTO:ADRIANA NATALI


A eficiência na comunicação também está atrelada a outras razões, como temperamento, que é inato ao próprio ambiente. Algumas pessoas nascem mais tímidas, outras mais extrovertidas. São os tipos psicológicos 'naturais', que vêm sendo descritos desde Aristóteles.

Segundo José Antônio Rosa, nos casos de temperamento, é preciso lutar contra si mesmo, é a chamada auto-superação, necessária para o crescimento pessoal e a realização plena.

Justificar falhas de comunicação, baseada no temperamento é uma saída pela "tangente" e isso não vai resolver os problemas do dia-a-dia nem faz com que os outros sejam tolerantes.

PARA LER E APRENDER:
Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, Dale Carnegie (ed. Companhia Editora Nacional)
201 Maneiras de Lidar Com Pessoas Difíceis, Alan Axelrod e Jim Holtje (ed. Manole Ltda)
Como Falar Em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios, Dale Carnegie (ed. Record)
Atitudes Vencedoras, Carlos Hilsdorf (ed. SENAC SP)
Como Captar a Mensagem, Carmen Lúcia Coube Zancaner e Marco Pellegatti (ed. TILIBRA)
Como Melhorar Sua Comunicação, Ivan René Franzolim (ed. EME)
Comunicação Eficaz, Moacir Costa de Araújo Lima (ed. AGE)
Psicologia da Comunicação Humana, John Parry (ed. Cultrix)
Psicologia da Linguagem, John B. Carroll (ed. Zahar)
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, Stephen R. Covey (ed. Best Seller)
Gestos & Postura Para Falar Melhor, Reinaldo Polito (ed. Saraiva)
Como Falar Corretamente e Sem Inibições, Reinaldo Polito (ed.Saraiva)

LER PARA CRER

Em alguns casos, a dificuldade em se comunicar vem da falta de repertório. Muitas vezes, são profissionais muito envolvidos com uma área específica de conhecimento que se distraíram ao longo do tempo em obter informações e experiências em outros setores.

Quem está nesse time só consegue se comunicar bem com indivíduos da própria área. "Amplie seu repertório, se interesse por outros temas, conheça e se relacione com pessoas de outros setores. Se num primeiro momento você estiver sem referência no assunto, comece perguntando, se informando, as conversas cumprem este papel em nossas vidas" aconselha Carlos Hisldorf. Há muitas formas de adquirir um repertório melhor, mas estabelecer boas conversas é um dos jeitos mais proveitosos e interessantes de fazê-lo.

PRÁTICAS QUE VALEM OURO
  • Grave-se falando ao telefone
  • Observe se você fala muito rápido ou muito devagar: se falar muito rápido: repita suas idéias de formas diferentes; se falar muito devagar: seja pragmático, vá direto ao ponto.
  • Observe se gagueja, se sua dicção é boa, se você fala com lógica, se suas idéias têm começo, meio e fim. Corrija o que for apropriado.
  • Use conexões entre frases: Contudo... Entretanto... Apesar disso... Ou seja... Portanto... A comunicação fica mais rica e não parece que você está apenas declarando idéias, mas construindo um pensamento.
  • Por último: pergunte às pessoas o que elas acham de sua comunicação e ouça-as com atenção. Afinal, quem convive com você pode lhe dar boas dicas sobre o que você precisa aprimorar. Pratique.
POR SILVIO CELESTIBO, DIRETOR DA ENLEVO

José Antônio Rosa reforça: "as pessoas que lêem e estudam mais, mantêm- se ligadas ao mundo, usualmente são mais cativantes, isso se não caírem no pecado da arrogância. A dica é: seja espontânea, se interesse genuinamente pelas coisas dos outros, abra os olhos e ouvidos e evite sair por aí julgando e condenando. "Estas são algumas formas de ser mais interessante", diz Rosa.

Especialistas no assunto dão o caminho: num primeiro momento tente se soltar diante dos amigos. É importante fazer esse treino para ter confiança. Depois, gradualmente, arrisque-se em conversas com pessoas mais difíceis e com quem você não tem intimidade. A regra é clara: treine com os amigos, para um dia, quando necessário, poder enfrentar até os inimigos.

TRANSFORME SUAS PALAVRAS EM ÍMÃS

De acordo com o consultor Carlos Hilsdorf, três coisas tornam uma conversa cativante: o tema, as pessoas e a relação entre elas. Assim, a melhor estratégia para uma comunicação eficiente é buscar um tema atraente para falar com pessoas interessantes e estabelecer com elas uma atmosfera agradável de compartilhamento e respeito.

"O ritmo, o tom e a arte de comunicar vem com o tempo. Dedique-se a observar às pessoas com as quais você gosta de conversar. O que elas possuem em comum? O que têm de especial que as faz tão agradáveis?", questiona o consultor.

OS 21 PECADOS CAPITAIS DA COMUNICAÇÃO: 1
1. Querer ser o dono da verdade
2. Não saber ouvir atentamente ao outro
3. Desconhecer as particularidades de seus ouvintes

4. Problemas graves de concordância verbal e nominal
5. Monotonia
6. Desrespeito social
7. Subestimar a inteligência da outra pessoa
8. Uso de termos técnicos não conhecidos pelo interlocutor
9. Gesticulação excessiva
10. Tocar fisicamente o outro com freqüência durante a conversa
11. Monopolizar a palavra
12. Usar frases de duplo sentido
13. Abusar da ironia
14. Atitudes preconceituosas
15. Crítica cruel e sem função
16. Grosseria, agressividade
17. Arrogância, falar bem de si mesmo, mostrar superioridade
18. Desrespeito a valores do outro
19. Envenenar o ambiente com mau humor e pessimismo
20. Julgamento, comparação inapropriada
21. Gozações e brincadeiras de mau gosto


POR CARLOS HILSDORF

Já para Celestino, há quatro níveis básicos de conversas: sobre propósitos, idéias, fatos e pessoas. "Evite esta última. Falar mal dos outros não é envolvente nem compensador. Quem fala muito sobre terceiros não é muito bemvisto no meio corporativo", explica.

Concentre-se nas ações. Ao falar sobre idéias, é necessário tomar cuidado para não se referir ao óbvio ou pensamentos estapafúrdios. "O campo do propósito é onde você encontra mais chances de chamar a atenção do ouvinte. Se o tema ou a razão pela qual você quer falar com alguém não é tão relevante, concentre-se na pessoa - lembre-se de que ela é o assunto preferido dela mesma. Fale em forma de perguntas que abram o caminho para você conhecê-la e, deste modo, achar pontos em comum de interesse e que possam desenvolver um excelente papo", conclui o diretor da Enlevo.
Extraido da revista "Vida Executiva"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Deixe aqui seu comentário.